ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Vasco amarga seu quarto rebaixamento, mas buscará anulação no STJD

Time carioca venceu o Goiás, mas não conseguiu descontar 12 gols de diferença para o Fortaleza; nos bastidores, clube tenta impugnação de jogo com o Inter

Por Da Redação Atualizado em 23 set 2021, 20h23 - Publicado em 25 fev 2021, 23h57

O Vasco precisava de uma combinação mais do que improvável de resultados para evitar o quarto descenso de sua história: vencer o Goiás e ainda tirar uma diferença de 12 gols de saldo para o Fortaleza, primeiro time fora da zona de rebaixamento – que perdeu por 2 a 0 para o Fluminense. A vitória vascaína por 3 a 2 em São Januário nesta quarta-feira, 26, portanto, não bastou.

Foi a quarta queda confirmada após os rebaixamentos em 2008, 2013 e 2015. Agora, a equipe cruz-maltina aumentará o número de campeões brasileiros na próxima edição da Série B, que também contará com Cruzeiro e Guarani, além de Coritiba, Botafogo, todos rebaixados. A não ser que consiga outra improvável vitória, agora nos tribunais.

Se em campo o sonho acabou, agora o Vasco buscará a impugnação da partida contra o Internacional, quando saiu derrotado por 2 a 0, junto ao no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube questiona o fato do gol de Rodrigo Dourado não ter sido revisado pelo VAR por conta de uma pane tecnológica.

O clube argumenta que houve um erro de direito recorrente da inobservância do protocolo do VAR, apontando que deveria ter sido avisado sobre o não funcionamento do sistema. Após análise recente de material audiovisual que recebeu da CBF, o Vasco citou que “as imagens mostram de maneira incontestável a posição de impedimento do jogador”.

O Vasco tentará, portanto, buscar os três pontos na partida, o que rebaixaria o Fortaleza, primeiro fora da zona de rebaixamento, empatado em 41 pontos com o Vasco e com nove gols a mais de saldo.

Em campo, o Vasco precisaria repetir ou superar a vitória mais elástica em jogos no Brasileiro, um 9 a 0 sobre a Tuna Luso, em 19 de fevereiro 1984, em São Januário, a segunda maior goleada da história dos brasileiros, superada apenas por 10 a 1 do Corinthians sobre o Tiradentes-PI, um ano antes.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Artilheiro do Vasco, Cano marcou, mas não evitou novo rebaixamento -
Artilheiro do Vasco, Cano marcou, mas não evitou novo rebaixamento – Bruna Prado/Getty Images

O sonho vascaíno até teve contornos de realidade com um bom início na partida. Aos 14 minutos, em lance de oportunismo após jogada individual de Carlinhos, o atacante argentino Germán Cano marcou o primeiro gol da partida. Os jogadores foram comemorar com o técnico Vanderlei Luxemburgo, que não continuará no clube. Três minutos depois, Cano quase ampliou o placar, após jogada de Yago Pikachu.

O balde de água fria no roteiro improvável do Vasco aconteceu ainda no primeiro tempo, com gols de Fernandão, aos 25, em lance revisado pelo VAR, e aos 51, aproveitando falha do goleiro Fernando Miguel. A equipe de São Januário ainda reagiu com dois gols do zagueiro Ricardo Graça, o último deles aos 46, mas foi insuficiente para salvar um novo calvário da equipe.

 

UOL Esporte Clube | Assine e acompanhe transmissões de grandes jogos e programas esportivos de onde você estiver.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade