CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Tom Brady recua em aposentadoria da NFL; quem já fez isso no futebol?

De Pelé a casos mais recentes como Robben, Scholes e Dida, alguns veteranos já voltaram atrás também com a bola redonda; PLACAR relembra

Por Da redação Atualizado em 14 mar 2022, 12h18 - Publicado em 14 mar 2022, 11h49

Durou menos de dois meses a aposentadoria de Tom Brady da NFL, liga de futebol americano. Pelas redes sociais, o atleta mais vencedor da história do esporte anunciou que retornará aos campos para mais em 2022. Aos 44 anos e já detentor de sete títulos, um recorde individual absoluto, o quarterback disputará a 23ª temporada da carreira pelo Tamba Bay Buccaneers.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

“Nesses últimos dois meses eu percebi que meu lugar ainda é no campo e não nas arquibancadas”, diz em parte de um comunicado nas redes sociais. “Negócios inacabados”, acrescenta, em alusão a aposentadoria desfeita.

Brady é só um dos exemplos de esportistas que resolveram parar, mas que se arrependeram e voltaram atrás. No futebol, há desde casos mais recentes como o do holandês Arjen Robben, hoje aposentado, mas que retornou em 2020 ao futebol após quase um ano parado, até nomes como Pelé, Dida, Paul Scholes, Sócrates e Zico e tantos outros. Eles encorpam o time dos “desaposentados”, PLACAR lembra as histórias:

Arjen Robben

O holandês de drible quase imparável anunciou oficialmente a aposentadoria em 23 de setembro de 2021. Antes disso, viveu grande indefinição nos anos anteriores. Em julho de 2019, quando deixou Bayern de Munique, anunciou ao mundo do futebol o fim de um ciclo no futebol, aos 35 anos: “não sou mais um jovem de 16 anos que não tem ideia do que as lesões podem fazer com você”.

Arjen Robben carrega a bola com sua letal perna esquerda -
Arjen Robben carrega a bola com sua letal perna esquerda – Roberto Setton/VEJA

Menos de um ano depois, em 27 de junho de 2020, anunciava a retomada da carreira pelo Groningen, clube onde se formou nas divisões de base. A motivação? Ele conta ter “seguido o próprio coração” para voltar.

Em setembro de 2021, Robben, enfim, pendurou as chuteiras. Com passagens por PSV, Chelsea, Real Madrid e Bayern de Munique, ainda atuou por longos anos pela seleção holandesa.

Paul Scholes

Paul Scholes viveu uma história para lá de curiosa nos últimos atos pelo United. O talentoso meio-campista inglês não tinha sequer mais chuteiras quando foi convocado de forma insistente pelo técnico Alex Ferguson para suprir ausências no elenco. Seis meses depois da aposentadoria, no final da temporada 2010/11, em junho de 2011, Scholes aceitou em janeiro de 2012 voltar para ajudar o clube onde havia enfileirado títulos.

Scholes precisou de seis meses para aceitar retorno ao United -
Scholes precisou de seis meses para aceitar retorno ao United – Manchester United/Facebook

Com a camisa 22, e não mais a 18, terminou a reestreia com 97% de acerto dos passes e com elogiada atuação na vitória no Campeonato Inglês. Só se aposentou no fim da temporada 2012/13, após a conquista de mais um título nacional.

Curiosamente, em setembro de 2018, voltou novamente aos gramados para vestir a camisa do Royton Town, time amador que disputava a 11ª divisão inglesa. Aos 43 anos, a motivação foi ajudar a equipe do filho que ficou desfalcada de nove jogadores.

Dida

Com vasto currículo pela seleção brasileira – reserva nas Copas de 1998 e 2002 e titular em 2006 -, além de protagonista vestindo as camisas de Milan, Corinthians e Vitória, Dida resolveu voltar aos gramados em maio de 2012. Aos 38 anos e há dois anos longe do futebol, após o fim do contrato com o Milan, ele aceitou a proposta da Portuguesa para defender a equipe na Série A do Campeonato Brasileiro. A aposta deu certo, apesar do rebaixamento da Lusa ao final daquele ano.

Continua após a publicidade

Dida durante a passagem pela Portuguesa -
Dida durante a passagem pela Portuguesa – Rodrigo Coca/VEJA

Ele ainda passou pelo Grêmio e pelo Internacional antes de encerrar de vez a carreira em dezembro de 2015, aos 42 anos. Atualmente trabalha como preparador de goleiros do Milan.

Pelé

Despediu-se dos gramados pelo Santos em 2 de outubro de 1974. É histórica a foto do Rei do Futebol ajoelhado ao centro do gramado da Vila Belmiro, com os braços abertos. Em campo, a participação durou pouco: apenas 21 minutos selaram o último dos 1.116 jogos pelo Santos. Um ano depois, retornava para jogar pelo New York Cosmos, onde se aposentou oficialmente em 1977, contra o próprio Santos, em 1º de outubro daquele ano com presenças ilustres.

Pelé abraça Muhammad Ali durante cerimônia em sua aposentadoria -
Pelé abraça Muhammad Ali durante cerimônia em sua aposentadoria – Arquivo/COI

Segundo historiadores, em um momento da solenidade, o pugilista Muhammad Ali abraçou Pelé no centro do gramado e segredou-lhe ao ouvido: “nós somos os maiores do mundo”.

Sócrates

O doutor voltou ao Brasil em 1985 após fiasco com a camisa da Fiorentina. Chegou com pompa para jogar ao lado de Zico, seu companheiro nas Copas de 1982 e 1986, mas viu o projeto naufragar por uma rusga com o então técnico Sebastião Lazaroni. Irritado, ele anunciou a sua aposentadoria do futebol em 1987. O anúncio foi desfeito meses depois, em 1988, quanto aceitou a proposta para jogar pelo Santos, o seu time de infância. Ainda atuaria pelo Botafogo-SP, em 1989, antes do adeus oficial ao futebol.

Sócrates e Zico, do Flamengo, antes de um Fla-Flu, em 1986
Sócrates e Zico, do Flamengo, antes de um Fla-Flu, em 1986 – Ricardo Beliel/Placar

Eric Cantona

Suspenso por agredir um árbitro, o atacante francês anunciou aposentadoria precoce dos gramados em 1991, aos 25 anos, quando atuava pelo Nímes, da França. Repensou a decisão e voltou para atuar no Leeds, da Inglaterra. Parou definitivamente somente sete anos depois, em 1998, aos 32, após boa – e polêmica – passagem pelo Manchester United.

Cantona em ação pelo United, em 1998 -
Cantona em ação pelo United, em 1998 – Manchester United/Facebook

Marc Overmars

O rápido atacante holandês encerrou a carreira em 2004, aos 31 anos, enquanto jogador do Barcelona. Cansado de seguidas lesões e problemas físicos, ele preferiu parar. Quatro anos depois, retornou pelo modesto Go Ahead Eagles, time da segunda divisão holandesa.

Overmars retornou após quatro anos parado em 2008 -
Overmars retornou após quatro anos parado em 2008 – AFC Ajax/Facebook

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês