CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Tite pede calma e diz que prefere brasileiro como sucessor na seleção

Em entrevista ao jornal Marca, treinador declarou que optaria por nomes do país para o cargo e revelou conversa decisiva sobre Vinícius Júnior

Por Da redação Atualizado em 11 abr 2022, 18h27 - Publicado em 11 abr 2022, 18h08

O técnico Tite, da seleção brasileira, se pronunciou pela primeira vez sobre a possibilidade de Pep Guardiola substituí-lo no cargo após a Copa do Mundo do Catar. Em entrevista ao jornal espanhol Marca, o treinador disse que “tem muito tempo” para que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) escolha o seu sucessor, mas afirmou que prefere ver um brasileiro na função.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

“Tem muito tempo ainda [para decidir], mas existem grandes técnicos brasileiros. Não tenho esse direito, mas sim [prefiro que seja brasileiro]. Ainda que respeite todos”, disse Tite.

A possibilidade entorno de um acordo com Guardiola ganhou repercussão a partir de uma informação divulgada pelo próprio Marca que dizia que a CBF cogita pagar um salário milionário para contar com o treinador.

Segundo informações do jornal, a diretoria da CBF entendeu que é necessário um treinador estrangeiro para o ciclo pós-Catar. O nome de Guardiola foi cotado como ideal, e a entidade deve se esforçar para concretizar o acerto. Pere Guardiola, irmão e representante do técnico, já foi abordado e está ciente do interesse.

Continua após a publicidade

Na última sexta-feira, 8, Guardiola pôs fim aos rumores em entrevista coletiva. O comandante do Manchester City negou qualquer possibilidade de aceitar uma proposta e ainda explicou que cogita estender o atual vínculo com o clube, atualmente até 30 de junho de 2023.

“Hoje não… estou sob contrato aqui, estou muito feliz. Estou disposto a ficar para sempre aqui. Eu renovaria o contrato por dez anos, mas agora não é o momento. Não sei onde veio”, declarou.

Durante a entrevista ao jornal espanhol, Tite ainda revelou ter tido recentes conversas com o técnico italiano Carlo Ancelotti para aperfeiçoar o posicionamento de Vinícius Júnior na seleção. O jogador fez diante do Chile, em março, pelas Eliminatórias, o primeiro gol com a camisa brasileira.

Vinicius Junior e Neymar comemoram diante do Chile no Maracanã
Vinicius Junior e Neymar comemoram diante do Chile no Maracanã – Carl de Souza/AFP

“Agora ele entra com mais naturalidade, como se tivesse tirado um peso. Perguntei ao Ancelotti sobre o que poderíamos fazer, que funções táticas faziam no Real Madrid para ajudá-lo na seleção a jogar como no Real Madrid. Tratamos de situações ofensivas que lhe deram liberdade criativa, de um contra um, do processo criativo. É uma coisa bonita e transparente de dois técnicos que querem o melhor para ele”, explicou.

O próximo compromisso da seleção ainda segue sem data definida. Os comandados de Tite devem realizar pelo menos quatro amistosos de preparação para a Copa do Mundo de 2022. Antes, por exigência da Fifa, precisará enfrentar a Argentina pelo jogo que foi abandonado em 5 de setembro de 2021, pelas Eliminatórias da Copa, após fiscais da Anvisa invadirem o campo da Neo Química Arena em São Paulo.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês