CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Polícia investiga médicos italianos pela morte de Astori, da Fiorentina

Zagueiro teve uma parada cardíaca em março, em um quarto de hotel na Itália

Por EFE Atualizado em 28 set 2021, 15h48 - Publicado em 10 dez 2018, 15h01

O Ministério Público de Florença enviou nesta segunda-feira, 10, uma notificação de acusação a dois médicos italianos investigados por possível homicídio culposo (sem a intenção de matar) de Davide Astori, capitão da Fiorentina, morto em 4 de março deste ano por parada cardíaca. O jogador morreu no quarto de um hotel em Udine, onde o clube estava concentrado para jogar contra a Udinese, pelo Campeonato Italiano.

Os dois médicos, que trabalham em clínicas de Florença e de Cagliari, onde Astori jogou de 2008 a 2015, estão sob investigação por serem os responsáveis por emitirem certificados de aptidão física, o que permitia que o zagueiro de 31 anos competisse na primeira divisão do Campeonato Italiano e em outros torneios, segundo informações da imprensa local.

A Fiorentina, clube defendido por Astori desde 2015, aposentou a camisa 13, usada pelo defensor. O Cagliari, onde o atleta jogou por sete anos, adotou a mesma medida como homenagem. O capitão da Fiorentina também teve passagens pela seleção italiana.

Publicidade