CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

‘Parasitas’ e ‘gagá’: a guerra entre Atlético-PR e empresários

Petraglia disse que “comissões exorbitantes” pedidas pela OTB Sports barraram negociações com Seedorf. Empresa chamou dirigente de “ditador”

Por Da redação Atualizado em 20 out 2021, 17h25 - Publicado em 9 jan 2018, 09h16

O Atlético-PR e a OTB Sports, uma empresa de gerenciamento de carreira de jogadores e treinadores, trocaram acusações na noite desta segunda-feira. Primeiro, o clube paranaense emitiu um comunicado para culpar os empresários, a quem chamou de “parasitas”, pelo fim da negociação com o ex-jogador holandês Clarence Seedorf para ser o treinador do time 2018. A OTB, então, respondeu chamando o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mario Celso Petraglia, de “gagá”.

Em nota divulgada pelo clube, Petraglia culpou o pedido de “comissões exorbitantes” de Bruno Paiva, um dos sócios da OTB Sports, pelo fim da negociação com Seedorf.  E ainda criticou o trabalho da empresa no gerenciamento das carreiras do goleiro Weverton (que trocou o Atlético pelo Palmeiras em 2018), do jovem Marcos Antonio Silva Santos (conhecido como “Bahia”) e do lateral Sidcley.

A nota do Atlético-PR diz que os clubes se tornaram “escravos” dos agentes e cobrou uma reflexão de dirigentes e da CBF sobre “a inescrupulosa conduta de certos agentes que, além de explorarem economicamente atletas e treinadores, intervêm negativamente em suas carreiras, direcionando-os para aquilo que melhor atenda a seus interesses financeiros pessoais.”

“Tais agentes atuam de forma parasita sobre os já combalidos cofres dos clubes brasileiros, que, na ânsia de obter bons resultados em campo, acabam cativos, compelidos a aceitar as exigências de valores absurdos de contratos de trabalho e comissões maiores ainda”, diz o Atlético em trecho da nota. Sem Seedorf, o clube acabou contratando Fernando Diniz.

Resposta da OTB Sports

A empresa de gerenciamento de carreiras se pronunciou ainda na noite de segunda. Sua nota é aberta de forma confusa: “A OTB SPORTS vem a público esclarecer que não emitirá nenhuma nota de esclarecimento…”. Em seguida, a nota assinada pelos sócios Bruno Paiva e Marcelo Goldfarb, diz que as acusações contra a empresa são “imaginárias” e trata Petraglia, de 73 anos, como ditador e “gagá”.

“Pessoas com perfil ditador têm sérias dificuldades em lidar com a passagem do tempo e o consequente decréscimo de poder. A idade chegou para Mário Celso Petraglia e, infelizmente, com ela veio a deterioração de sua saúde mental. Em suma, a OTB SPORTS lamenta que o dirigente esteja completamente “gagá”, com dificuldade de organizar seus pensamentos e externando surtos de delírio, e recomenda, seriamente, que família e amigos busquem ajuda profissional,” diz trecho da nota.

A OTB Sports patrocina diversos treinadores e atletas (confira lista no site da empresa), entre eles dois jogadores em litígio com seus clubes: o meia Gustavo Scarpa, do Fluminense, e o lateral Zeca, do Santos.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade