Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Para inglês ver (ou quase) 

Volta do público em SP seguiu só alguns dos protocolos — 30% da capacidade em Itaquera, a maioria de máscara, mas havia pouco controle de vacinação e testes

Por Fábio Altman Atualizado em 6 out 2021, 00h38 - Publicado em 5 out 2021, 21h36

Depois de um ano e sete meses, as torcidas voltaram ao futebol no estado de São Paulo. Na noite de terça-feira, 5, a Neo Química Arena, em Itaquera, abriu as portas para Corinthians e Bahia, em jogo vencido pela equipe alvinegra por 3 a 1. De acordo com os protocolos, apenas 14 000 ingressos foram postos à venda. Os torcedores só poderiam entrar no recinto com máscaras, com comprovante de vacinação de duas doses ou, no caso de apenas uma, teste PCR feito até 48 horas antes da partida ou de antígeno colhido 24 horas. Tudo muito bem a maioria das pessoas usava máscaras (salvo quando estavam comendo).

  • Contudo, ao menos nos portões de entrada do lado leste da arena, os funcionários não pediram comprovante de imunização ou de testagem negativa. Em alguns pontos do estádio, sim, especialmente para quem chegou de transporte público, de ônibus ou metrô, houve algum controle. Mas em boa parte da arena, não. O retorno ao cotidiano é bem-vindo e ansiosamente desejado desde que os protocolos sejam totalmente respeitados. A primeira experiência em Itaquera, apesar dos alto-falantes defenderem o controle sanitário, foi um pouco para inglês ver. Precisa melhorar. 

    Publicidade