CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

O sucesso do Bonsuça do Rio de Janeiro

Time fez o Flamengo perder ‘título ganho’ em 1968

Por Rodrigo Ancilloti 10 jun 2016, 12h38

Quem vê o simpático Bonsucesso, clube do bairro de mesmo nome, lutando, com muitas dificuldade, para se manter na elite do Campeonato Carioca (escapou por pouco), nem pode imaginar que o ‘Bonsuça’, com seu uniforme azul e grená, já foi o terror dos clubes grandes da cidade, que por muitas e muitas vezes perderam partidas ou pontos preciosos no seu simpático estádio da Rua Teixeira de Freitas… E fora dele também! 

Além de excelentes campanhas no Campeonato Carioca (figurando várias vezes à frente de times mais tradicionais), se notabilizou pelas suas categorias de base e por revelar grandes jogadores. O maior exemplo foi o de Leônidas da Silva, que empresta seu nome ao estádio, revelado ao mundo e convocado para a seleção brasileira, pela primeira vez, quando atuava no ‘Rubro-Anil’.

Anos depois, coube ao Bonsucesso protagonizar uma das maiores zebras da história do futebol carioca. Corria a Taça Guanabara de 1968, que, naquela época, era um torneio independente disputado à parte, após o Campeonato Carioca e que dava ao seu campeão uma vaga na Taça Brasil, único torneio com abrangência nacional daquele tempo. Após o clássico disputado entre Botafogo e Flamengo, em 8 de setembro, acabar empatado sem gols, ambas as equipes se mantiveram na liderança da competição com nove pontos. O rubro-negro, no entanto, ainda tinha um jogo a disputar, justamente contra o Bonsucesso, que ocupava a lanterna do campeonato.

Por conta disso, ao final da partida, o título chegou a ser comemorado pelos atletas e torcida do Flamengo. Volta olímpica foi dada, camisas e chuteiras jogadas para a multidão, abraços, festas etc. Só não teve taça, mas essa viria, com certeza (?!), no jogo que faltava. Afinal, ninguém acreditava que o poderoso Flamengo pudesse perder para a equipe do subúrbio carioca. Até mesmo o Botafogo já dava o título como perdido, inclusive embarcando para mais uma das suas intermináveis excursões para a América Central e do Norte.

Eis que no dia 11 de setembro de 1968, uma quarta-feira à noite, os 47.821 pagantes que pensavam estar presenciando uma festa rubro-negra, viram uma das maiores vitórias da história do ‘rubro-anil’. Com gols de Gonçalves e Morais (este já no ‘apagar das luzes’), o Bonsucesso venceu o Flamengo por 2 a 0 e obrigou a realização de uma partida-desempate entre Flamengo e Botafogo, que precisou voltar às pressas do México para a decisão do título.

Uma semana depois, no dia 18, o Botafogo passou por cima do Flamengo, com uma goleada de 4 a 1 (com gols de Gérson, duas vezes, Zequinha e Roberto, com Dionísio marcando para o rubro-negro) diante de mais de 90 mil pagantes, e se tornando ‘Bi-Bi’ do futebol carioca, uma vez que já havia vencido o Campeonato Carioca e a Taça Guanabara de 1967 e 1968.

Ainda que o Botafogo tenha feito história, o que realmente foi marcante naquele ano, foi a noite em que o Bonsucesso obrigou o Flamengo a dar ‘marcha a ré’ na volta olímpica!!!

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade