CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Neymar, ainda um dilema para Tite

o treinador e sua comissão preferem preservar e blindar o craque. Mas o que será da seleção brasileira quando ele voltar?

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 28 set 2021, 20h17 - Publicado em 1 jun 2018, 10h05

LONDRES – Colocá-lo em campo para readquirir ritmo de jogo ou preservá-lo para a ocasião que realmente importa? Eis o dilema do técnico Tite em relação a Neymar, o craque da seleção brasileira, que não joga desde fevereiro, quando fraturou  um osso do pé. O camisa 10 não começará como titular no amistoso contra a Croácia, em Liverpool, no domingo, e existe a expectativa sobre quando – e se – Neymar vai entrar em campo no amistoso. Jogador e técnico têm evitado entrevistas, o que aumenta ainda mais o clima de mistério: afinal, Neymar já está plenamente recuperado?

Tabela completa de jogos da Copa do Mundo 2018

O melhor jogador do país atuou em todos os treinamentos com bola desde o início da preparação, há dez dias, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). Ao embarcar para Londres, disse que nada o impedia de jogar e que, aos poucos, seu receio vinha diminuindo. Nos poucos minutos de treinos abertos à imprensa – geralmente apenas o aquecimento –, Neymar não demonstrou qualquer limitação e esteve sempre sorrindo e brincando com os colegas. Nas redes sociais, também apareceu animado. O temor de uma nova surpresa desagradável, no entanto, é inevitável.

Neymar, sem histórico de lesões musculares ou de joelho (as mais comuns) na carreira, já ficou fora da semifinal da última Copa por causa de uma imprevisível e bizarra joelhada nas costas. No início deste ano, a situação foi ainda mais inusitada: Neymar torceu o tornozelo e fraturou o quinto metatarso do pé direito ao escorregar sozinho, sem nenhum marcador por perto.

A cirurgia foi bem-sucedida e a equipe de Tite se apressou em dizer que a recuperação é melhor que a esperada. Mas a cautela ainda toma conta do luxuoso CT do Tottenham.  Recentemente, outros importantes atletas da equipe passaram pelo departamento médico: Daniel Alves foi cortado e Fagner, Douglas Costa e Renato Augusto sofreram problemas musculares, mas devem retornar à tempo do Mundial.

Colegas dão pistas

O protagonista não fala, mas seus companheiros dão alguns sinais. Na quarta-feira, o lateral-direito Danilo, que foi companheiro de Neymar no Santos e se acostumou a encará-lo nos treinamentos por atuarem no mesmo setor do campo, admitiu que tem adotado cautela. “Ele está cada dia melhor e mais rápido. Sempre acabo dando uma ‘pisadinha’ nele, é complicado, porque ele é muito rápido, sai para os dois lados. Mas agora tenho aliviado nas pisadinhas, é só carinho”, brincou o jogador do Manchester City.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Fernandinho disse nesta quinta-feira que os treinos estão intensos, verdadeiras “brigas de galo”, mas ressaltou que o machucado de Neymar não foi dos mais corriqueiros. “Essa lesão particularmente é meio chata, eu já tive quando era mais novo. Dói um pouco, mesmo depois de algum tempo. Mas pelos movimentos que tem feito e como tem treinado, vejo que está muito bem.”

No fim de sua entrevista, questionado novamente pela imprensa inglesa sobre o camisa 10, Fernardinho disse uma frase, no idioma local, que pode indicar uma cautela ainda maior da comissão. “Neymar está bem, em forma, não é uma lesão simples. Mas acredito que ele estará bem para o jogo contra a Suíça”, afirmou, referindo-se à estreia na Copa da Rússia, apenas no dia 17 de junho, em Rostov.

Tite ainda não confirmou se Neymar estará em campo nos amistoso dos dias 3, contra a Croácia, e 10, contra a Áustria. Deve fazê-lo no sábado, após o treino em Anfield, estádio do Liverpool, na entrevista coletiva que concederá ao lado de Gabriel Jesus, o último escolhido para o “rodízio de capitães” do treinador.

E quem sai quando Neymar voltar?

Tite tem ouvido atentamente as recomendações de seu departamento médico, mas gostaria de poder contar como Neymar o mais rápido possível para entrosar a equipe e definir seu esquema de jogo. No time escalado para começar o jogo contra a Croácia, o treinador gaúcho optou por um meio-campo mais marcador, com Casemiro, Fernandinho e Paulinho, e um ataque rápido, com Philippe Coutinho e Willian abertos e Gabriel Jesus no comando.

Um deles, porém, terá de sair do time para o retorno da estrela da companhia. Os mais cotados são Fernardinho e Willian. Caso o escolhido seja o volante do City, Paulinho deveria atuar mais recuado ao lado de Casemiro, com Willian na direita, e Neymar e Coutinho se revezando entre o meio e a ponta esquerda. Mas se o veloz meia-atacante do Chelsea deixar o time, Neymar deve retomar o lado esquerdo e mandar Coutinho para a direita, como já ocorreu diversas vezes nas Eliminatórias. Qualquer que seja a escolha, precisa ser bem treinada antes da estreia no Mundial.

[googlemaps https://www.google.com/maps/d/embed?mid=1d0NcRqFZVKi2aRAF0XYhtuEBpFWDLNjv&w=640&h=480%5D

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês