CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Motorista do Boca Juniors ‘apagou’ em ataque a ônibus

Uma pedra atravessou a janela ao seu lado e o acertou nas costelas

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 28 set 2021, 16h06 - Publicado em 25 nov 2018, 13h18

As cenas de violência ocorridas nos arredores do Monumental de Núñez, no sábado (24), poderiam ter acabado em tragédia, segundo o motorista do ônibus do Boca Juniors. Ele revelou que “apagou” durante o ataque ao veículo por torcedores do concorrente River Plate e que o vice-presidente do Boca, Horacio Paolini, evitou que o estrago fosse maior.

“O vice-presidente do clube agarrou o volante do ônibus até que reagi de volta e tratei de fazer o possível para trazer todo mundo a salvo”, declarou o motorista, conhecido como El Gringo, em entrevista reproduzida pelo jornal La Nación. “Se o Paolini não tivesse pegado o volante, poderia ter sido uma tragédia.”

O motorista revelou que, em meio aos ataques, uma pedra atravessou a janela ao seu lado e o acertou nas costelas. “Depois que vi a pedra, já não lembro de nada. Até que consegui pegar de volta o volante e falei: ‘Estou bem’. Mas por um segundo, foi como se estivesse sem ar.” El Gringo ainda relatou os momentos dos quais se lembra. “O pior foi quando virei na Lindoro Quinteros. Ali, foi um ataque massivo. Depois, quando passamos pela rotatória, parecia que um exército nos esperava, como em uma zona livre. Vínhamos para um jogo de futebol, não uma guerra.”

O apedrejamento do ônibus do Boca provocou lesões na região dos olhos de dois jogadores, os meias Pablo Pérez, que é o capitão do time, e Gonzalo Lamardo. Além disso, outros atletas passaram mal, pois um artefato contendo gás pimenta também foi atirado no veículo, e torcedores do River entraram em confronto com a polícia e invadiram o Monumental de Núñez.

Diante deste cenário, um longo impasse gerou o clima de incerteza visto por horas no sábado. O horário do jogo chegou a ser adiado em duas oportunidades. Somente quando as diretorias de River e Boca entraram em acordo e comunicaram o desejo do adiamento da data da partida, a Conmebol estabeleceu que ela fosse disputada neste domingo (25), às 18 horas de Brasília.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 14,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês