Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Justiça cita Cruzeiro a pagar R$ 330 milhões para investidores de Dedé

Decisão diz que montante deve ser pago pelo clube, assolado por dívidas e dificuldades, em até 15 dias; Cruzeiro deve recorrer e oferecer embargos

Por Da Redação Atualizado em 23 set 2021, 17h22 - Publicado em 1 set 2021, 13h28

O Cruzeiro foi citado judicialmente para o pagamento de 330 milhões de reais a um grupo de empresários que investiram na contratação do zagueiro Dedé, em 2013. O valor é referente a cláusula indenizatória do jogador, que teve o seu vínculo encerrado em julho deste ano. Segundo a decisão da juíza Lílian Bastos de Paul, da 22ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte, o montante deve ser pago pelo clube em até 15 dias. A informação foi divulgada pelo Ge.com.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

O clube ainda pode recorrer da decisão e oferecer embargos. A juíza ainda deu ao clube uma alternativa para a quitação do débito: depósito inicial de 30% do valor, ou seja, 99 mil reais e o parcelamento do restante da dívida em até seis meses, com juros e correções.

“Defiro a expedição de mandado de citação para determinar que a parte demandada pague à parte autora a quantia pleiteada, fixado o prazo de 15 dias para cumprimento da obrigação e o pagamento de honorários advocatícios de 5% do valor atribuído à causa (CPC, art. 701), ficando a parte requerida isenta do pagamento das custas processuais na hipótese de oportuno cumprimento do mandado”, diz o despacho publicado na terça, 31.

A cobrança é feita pelo Grupo DIS e a GT Sports, além dos empresários Marcos Vinícius Secundino e Giscard Salton. Eles participaram da compra do jogador quando atuava no Vasco.

O clube contratou Dedé por 14 milhões de reais à época, que ficou com 97% dos direitos econômicos presos ao Grupo DIS e outros 3% ao clube Villa Rio. Posteriormente, os percentuais foram redivididos em 51,91% ao fundo de investimentos, 6,5% a GT Sports, 30,5% para Marcos Vinícus Secundino e 11,09% ao empresário Giscard Salton.

A alegação dos empresários é que foi firmado no contrato que, em caso de rescisão antecipada ou unilateral, o Cruzeiro ficaria obrigado ao pagamento da cláusula de R$ 330 milhões, quantia pleiteada na Justiça.

Dedé conquistou sete títulos pelo Cruzeiro, jogou 188 vezes pelo clube e marcou 15 gols. Sua saída já causou enorme prejuízo aos cofres do clube, que fez acordo de R$ 16,6 milhões parcelados em 60 vezes de 276 mil reais a partir de janeiro de 2022.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade