CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Investigada por fraudes, Juventus pode perder título e até ser rebaixada

Clube é o principal alvo da justiça por suspeita de crimes financeiros em 42 transferências de atletas; processo é conduzido pelo Ministério Público local

Por Da Redação Atualizado em 30 nov 2021, 18h00 - Publicado em 30 nov 2021, 14h42

A Juventus entra em campo nesta terça-feira, 30, contra a Salernitana, às 16h45 (de Brasília), em confronto válido pela 15ª rodada do Campeonato Italiano. O jogo, contudo, é uma espécie de cortina que encobre momentaneamente o delicado momento do clube italiano, alvo de investigações da justiça do país devido a 42 transferências sob suspeita de irregularidades.

Black Friday Abril: Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

Caso confirmados, os crimes financeiros podem levar novamente o clube à segunda divisão, além de anularem o título italiano da temporada 2019/20. “Juventus sob pressão. Os magistrados, convencidos de fechar a sentença dentro de um mês, acusam: o sistema futebolístico está doente”, afirma a principal manchete do jornal italiano La Gazzetta dello Sport.

Capa do jornal La Gazzetta dello Sport - Reprodução
Capa do jornal La Gazzetta dello Sport – Reprodução

A promotoria da Federação Italiana de Futebol (FIGC, na sigla original) abriu inquérito na última semana para apurar, ao todo, 62 negociações irregulares durante 2019 e 2021 – 42 delas seriam da Juventus, a principal delas a transação que envolveu a compra do volante brasileiro Arthur do Barcelona por 72 milhões de euros (442 milhões de reais na cotação da época), com a cessão do bósnio Miralem Pjanic.

Arthur em ação com a camisa da Juventus -
Arthur em ação com a camisa da Juventus – Marc Atkins/Getty Images

O processo é conduzido pelo Ministério Público de Turim e tem ouvido depoimentos de nomes importantes, um dos últimos foi o de Maurizio Arribabene, executivo do clube italiano. A investigação também envolve nomes como Andrea Agnelli, presidente da Juve, o ex-jogador checo Pavel Nedved, vice.

Continua após a publicidade

Eles são investigados por possíveis falsas contabilidades e emissões de faturas para transações não existentes. A justiça acredita que o clube lançava em seus balanços ganhos fictícios provenientes da compra e venda de jogadores. As operações suspeitas ultrapassariam 280 milhões de euros (1,7 bilhão de reais).

Além da compra de Arthur, entre as negociações sob suspeita estão a do astro português Cristiano Ronaldo, negociado na última janela de transferências com o Manchester United. Outros casos como o do português João Cancelo e o do lateral direito brasileiro Danilo também são investigados.

Cristiano Ronaldo deixou a Juventus na última janela de transferências -
Cristiano Ronaldo deixou a Juventus na última janela de transferências – Pierre-Philippe Marcou/HULU

Também estão na mira da justiça local estão o ex-diretor esportivo Fabio Paratici, atualmente no Tottenham, o diretor financeiro Stefano Cerrato, o ex-diretor financeiro Stefano Bertola e o ex-diretor Marco Re.

Fiscais de Guarda de Finanças estiveram na sede do clube na última sexta-feira, 26, para apreender documentos que colaborarão na investigação.

O clube italiano sofreu em 2006 uma punição semelhante a cogitada neste ano pelo envolvimento em um esquema de manipulação de resultados no futebol italiano. A Juve perdeu o scudetto da temporada 2004/05 e ainda foi rebaixada à segunda divisão da competição.

Classificada para a segunda fase da Liga dos Campeões, a equipe vive má fase no Italiano. Atualmente, ocupa a sétima colocação, com 21 pontos, 14 atrás do líder Napoli.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade

Publicidade