ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Internacional inclui cláusula antirracismo no contrato de atletas

Clube afirmou que atos discriminatórios podem causar rompimento imediato do presente contrato, além de eventual reparação de danos

Por Da Redação Atualizado em 23 set 2021, 19h06 - Publicado em 27 jun 2021, 12h20

O Internacional incluiu uma cláusula antidiscriminação nos contratos de trabalho, vedando expressamente qualquer manifestação de preconceito por jogadores e funcionários em geral, segundo informou o presidente do clube, Alessandro Barcellos, a PLACAR, neste domingo, 27.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

“O contratado compromete-se a cumprir as normas de ética e conduta estabelecidas pelo clube, em especial pautando-se pelo repúdio à prática de quaisquer atos discriminatórios ou preconceituosos decorrentes de origem, cor, gênero, religião, classe social, capacidades ou limitações individuais e fica, desde já, ciente de que a infração à tais normas deverá acarretar em aplicação de advertência, suspensão e/ou rescisão direta por justa causa”, diz a cláusula, que está em vigência desde março deste ano.

“Fica, desde já, ciente de que a infração à tais normas poderá ensejar rompimento imediato do presente contrato, além de eventual reparação de danos”, completa a nota.

O presidente do Inter destacou a importância da novidade. “Temos demonstrado preocupação e interesse em crescer cada vez mais como instituição ao trazer com bastante intensidade projetos voltados para a inclusão e diversidade, sempre de forma democrática envolvendo nossos consulados e torcedores em geral. Entendemos que isso é uma tendência em várias organizações, e no futebol não seria diferente”, afirma Alessandro Barcellos.

Vale relembrar que há pouco mais de quatro dias, Danilo Avelar, então zagueiro do Corinthians, usou um termo racista durante uma partida online de CS:GO (Counter Strike: Global Offensive). Ele ofendeu a um dos adversários como “fih (filho) de rapariga preta”. Horas depois, pelas redes sociais, pediu desculpas admitindo ter “cometido um grave erro”. O clube decidiu rescindir o contrato do jogador de 32 anos no dia seguinte.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade