CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Ibra: ‘Franceses me chamam de arrogante, mas são iguais a mim’

Atacante sueco de origem eslava disse ser vítima de racismo em seu próprio país. ‘Não sou aceito porque sou Ibrahimovic, não Andersson ou Svensson’

Por Da redação Atualizado em 20 out 2021, 17h25 - Publicado em 9 jan 2018, 10h42

Zlatan Ibrahimovic segue com a língua afiada. O atacante do Manchester United concedeu entrevista à emissora francesa Canal + nesta segunda-feira e não poupou críticas aos franceses e também a seus compatriotas suecos. Filho de eslavos, ele se disse vítima de racismo na Suécia e respondeu de forma inusitada à fama de arrogante que sempre o acompanhou.

“É estranho. Vocês franceses me chamam de arrogante. Mas são famosos por serem arrogantes. Sou exatamente como vocês, vocês deveriam me amar, pois represento a França muito bem”, cravou o ex-jogador do Paris Saint-Germain, arrancando risos de seu entrevistador, o ex-jogador francês Olivier Dacourt. “Só estou sendo eu mesmo e sei exatamente o que estou fazendo”, completou.

Ibrahimovic, que tem ascendência bósnia e croata, disse que sofreu preconceito durante a adolescência, quando treinava na equipe sueca do Malmo, e sonhava em ser jogador. “Não fui aceito como os outros, porque eu era Ibrahimovic, não Andersson, Svensson ou esses sobrenomes tipicamente suecos. Eu era o estrangeiro.”

Ele contou que o pai de um colega, que era policial, exigiu que o Malmo o excluísse do time juvenil após uma confusão no treino. “Me sentia a ovelha negra. Eles não me aceitavam, eu era diferente, não era o garoto loiro.” Ibra diz ainda que a imprensa sueca é racista e o persegue.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

“Até hoje a imprensa sueca me ataca. Porque não aceitam que eu seja Ibrahimovic. Se outro jogador sueco cometesse os mesmos erros que eu, o defenderiam. Isso é racismo, racismo encoberto. Isso existe, tenho 100% de certeza. Se eu fosse Andersson o Svensson eles me defenderiam até se eu roubasse um banco.

Ibra lembrou que foi eleito onze vezes o melhor atleta da Suécia e mesmo assim é criticado em seu país. Questionado se isso não ocorre devido a sua arrogância, Ibra seguiu firme. “Não importa. Eu sou o melhor. ”

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade