CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Homem é preso por ofensas racistas contra ingleses na final da Euro

O torcedor de 52 anos gravou a si mesmo no Facebook xingando Rashford, Sancho e Saka e foi condenado a 10 semanas de detenção

Por Da Redação Atualizado em 3 nov 2021, 15h10 - Publicado em 3 nov 2021, 14h22

Justiça. Jonathon Best, um homem britânico de 52 anos, foi condenado a prisão na última terça-feira, 2, por ter realizado ofensas racistas a Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka após a derrota da Inglaterra para a Itália, na final da Eurocopa 2020, em julho. Os atletas que desperdiçaram penalidades na decisão em Londres foram alvos de uma série de ataques de ódio e preconceito nas redes sociais. O caso de Best aconteceu em sua conta no Facebook.

O homem, que trabalha como motorista de empilhadeira, direcionou aos jovens atletas os seus xingamentos. “Esses três pretos não podem jogar pela Inglaterra”, disse em um dos trechos do vídeo, que foi denunciado por uma colega na rede social. Segundo informações do diário The Guardian, Best  foi condenado pelo Crown Prosecution Service (CPS), o Ministério Público britânico, a 10 semanas de detenção.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 14,90/mês

Antes do julgamento penal, o vídeo de Best foi reportado ao Facebook e à polícia. O torcedor foi ordenado a apagar a publicação, mas respondeu também de maneira ofensiva: “É minha conta, posso fazer do que eu quiser”. O condenado, anteriormente, ainda insistiu que deletou o vídeo na manhã seguinte ao jogo, mas a postagem ficou disponível por mais dias e foi copiada por outros usuários.

Na sentenã divulgada pelo Tribunal de Magistrados de Willesden, em Londres, Best foi considerado culpado por “publicar por uma rede social uma mensagem ofensiva, obscena ou ameaçadora.” “Quando a maioria do país se orgulhava dos ‘três leões’ terem alcançado a sua primeira final internacional em mais de 50 anos, Jonathon Best recorreu ao Facebook para transmitir abusos racistas contra os três jogadores que perderam os pênaltis”, completou a procuradora Elaine Cousins. Ao longo dos últimos meses, a Justiça britânica emitiu penas semelhantes a outros torcedores racistas.

Continua após a publicidade

Publicidade