CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Goleiro Buffon completa 44 anos — e fala em jogar até os 50

Atuando pelo Parma, na Série B italiana, o lendário arqueiro admitiu que sonho de disputar a Copa do Catar está distante, mas cogitou lutar por vaga em 2026

Por Da redação 28 jan 2022, 13h53

O goleiro italiano Gianluigi Buffon, um dos maiores da história em sua posição, assopra velinhas nesta sexta-feira, 28, e, aos 44 anos, nem pensa em parar. De volta ao Parma, o clube que o revelou no fim da década de 1990, atualmente na Série B italiana, o veterano acredita que poderá jogar até os 50 e não desistiu do sonho de estar na Copa do Mundo do Catar.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

Em entrevista ao jornal Gazzetta dello Sport, o ídolo da Juventus e da seleção italiana falou sobre seus planos. “Vamos ver como terminamos esta temporada. Sinto a responsabilidade de representar o Parma e os torcedores do clube, que me dão um amor incondicional. Defini uma meta: se a Itália não se classificar para o Mundial do Catar, quero mirar o próximo. Não seria uma surpresa para mim estar em grande forma aos 48 anos. Penso que posso jogar até aos 50”, afirmou.

Campeão do mundo em 2006, Buffon jamais negou o objetivo de convencer o técnico Roberto Mancini a convocá-lo, ainda que como terceiro goleiro (seu xará Gianluigi Donnarumma é o novo dono da meta italiana). Caso a Itália passe pela repescagem europeia e Buffon esteja no elenco, ele se tornará o único atleta com seis participações em Copas como atleta (foi reserva em 1998 e titular em 2002, 2006, 2010 e 2014). O recorde poderia ter sido batido em 2018, mas a Itália acabou ficando fora do torneio na Rússia. Ele admite, porém, que suas chances são remotas.

Continua após a publicidade

“Não sonho mais. A dinâmica atual me faz pensar que estar no Catar seja impossível. É justo, respeito os pensamentos e escolhas de um homem inteligente como Mancini. Falamos da última vez há três anos e é correto que ele aja da forma que acha melhor até para proteger o grupo. Além disso, os goleiros são bons”, disse o veterano. Questionado se não poderia ser uma figura de liderança importante no vestiário, desconversou: ‘Não cabe a mim fazer este tipo de reflexão. Certamente, Chiellini e Bonucci tem enorme experiência”, disse citando os ex-companheiros e líderes do time.

O Parma de Buffon não vive bom momento na segunda divisão italiana. É o 13ª colocado, com 23 pontos, 17 a menos que o líder Lecce, após 20 rodadas. O capitão da equipe jogou 19 partidas e levou 21 gols.

Parma celebra o retorno de seu
Parma celebrou o retorno de seu “Super-Homem” Buffon  Parma/MF Press Global

Buffon chegou à base do Parma em 1991 e estreou pela equipe em 19 de novembro de 1995, diante do Milan, sendo escolhido o melhor jogador da partida, aos 17 anos, no estádio Ennio Tardini. Em 220 jogos pela equipe, Buffon conquistou a Copa da Italia e Suércopa da Itália de 1999 e também a Copa da Uefa (atual Liga Europa) de 1999. Em 2001, “Gigi”, como é conhecido, se transferiu à Juventus, pelo qual conquistou dez títulos da Série A italiana, além de uma Série B.

Nesta sexta, Buffon recebeu homenagens pelos 44 anos nas redes sociais.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 14,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês