Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Franco Baresi relembra duelos: ‘Brasil de 94 era mais forte que o de 82’

Em São Paulo para a gravação de um documentário, lenda do Milan e da seleção italiana se disse um amante do futebol brasileiro em entrevista a PLACAR

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 8 out 2021, 13h32 - Publicado em 14 set 2021, 15h58

O tom desconfiado das primeiras interações rapidamente deu lugar a um sorriso quando perguntado sobre sua relação com o futebol brasileiro. Franco Baresi, 61 anos, ídolo do Milan e da seleção italiana e considerado um dos maiores zagueiros de todos os tempos, guarda com carinho na memória os seus duelos contra atletas e equipes do país. “Sou um amante do futebol brasileiro, de Ronaldo Fenômeno, Kaká, Cafu… Joguei com Aldair, Zico, Romário, é difícil escolher um preferido”, diz o ex-jogador, em entrevista exclusiva a PLACAR.

Baresi está em São Paulo para a gravação de Facing Fate, uma série documental produzida pelo Grupo LX sobre como superar desafios, e que ainda passará por Salvador, Rio de Janeiro, Manaus e Foz do Iguaçu. O ídolo do futebol italiano disputou três Copas do Mundo (viu do banco o título da Azzurra em 1982, foi terceiro colocado em 1990 e vice-campeão em 1994). Ele diz guardar boas lembranças dos encontros com o Brasil, tanto do triunfo por 3 a 2 na primeira, com gols de Paolo Rossi, quanto da derrota nos pênaltis após empate em 0 a 0 na despedida.

“Assistir do banco à partida de 1982 foi uma experiência incrível, eu era muito jovem, e aquele Brasil e Itália foi uma bela surpresa. O Brasil era o favorito, mas a Itália fez um grande jogo, e talvez o Brasil tenha nos subestimado um pouco”, disse. Segundo ele, a equipe tetracampeã nos Estados Unidos era mais difícil de ser batida.

“Eram diferentes, o Brasil de 82 talvez tivesse mais qualidade, mas o de 94 era muito sólido, mais forte, mais europeu, digamos.” Apesar da derrota e de ter falhado um pênalti na decisão, o líbero italiano se sente orgulhoso de sua prestação em 1994. Sua presença em campo foi considerada quase um milagre, pois o jogador, então com 34 anos, havia sofrido uma grave lesão no menisco na segunda partida do torneio. Ele voltou a tempo de parar Romário e Bebeto durante 120 minutos de sol escaldante na Califórnia.

LOS ANGELES, USA - JULY 17: Romario of Brazil and Franco Baresi of Italy in action during the World Cup final match between Brazil and Italy on July 17, 1994 in Los Angeles, USA. (Photo by Lutz Bongarts/Bongarts/Getty Images)
Romário, do Brasil e Franco Baresi, da Itália, em ação durante a partida final da Copa do Mundo entre Brasil e Itáli, em 1994 – Lutz Bongarts/Getty Images

“Era meu último Mundial, minha última chance. Me machuquei, operei e consegui depois jogar uma final. Isso mostra que é preciso sempre ter esperança, força mental, capacidade de se adaptar. No fim, foi a partida mais bonita da minha carreira. Depois de tantos anos, revejo as cenas e penso: como foi possível? Me dei conta de que foi algo extraordinário.”

Continua após a publicidade

Assine Star+ | Os melhores torneios do mundo ao vivo, séries originais e jogos exclusivos da ESPN!

Franco Baresi - Alexandre Battibugli/PLACAR
Franco Baresi – Alexandre Battibugli/PLACAR

Baresi também relembrou outra derrota para brasileiros: a final do Mundial de Clubes de 1993, diante do São Paulo, no Japão. “Estou na cidade e vejo que para os torcedores são-paulinos foi uma grande satisfação e alegria. Aquela partida foi estranha e difícil. O São Paulo era uma grande equipe, de talento e experiência, e infelizmente nós cometemos alguns erros, que nos custaram caro.” Palhinha, Toninho Cerezo e Müller marcaram os gols do triunfo brasileiro por 3 a 2 em Tóquio.

Baresi também falou sobre a tradição italiana de formar grandes defensores, sobre a mudança de mentalidade da equipe que venceu a última Eurocopa, do fato de ter tido seu irmão, Giuseppe Baresi, ídolo da Inter de Milão, como rival durante tantos anos e se disse otimista com o momento do Milan, pelo qual fez 719 partidas, e do qual hoje é vice-presidente.

Assista a entrevista no YouTube da Revista PLACAR. O conteúdo também foi publicado na edição de outubro da revista, já disponível em nossas plataformas digitais em dispositivos iOS e também Android. A revista impressa chega às bancas na próxima semana.

Continua após a publicidade
Publicidade