CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Eriksen volta a treinar 173 dias depois de parada cardíaca na Eurocopa

Meio-campista retomou os trabalhos acompanhando de um profissional particular nos campos do Odense Boldklub, equipe da primeira divisão da Dinamarca

Por Da Redação Atualizado em 2 dez 2021, 13h52 - Publicado em 2 dez 2021, 13h50

O meio-campista dinamarquês Christian Eriksen, da Inter de Milão, iniciou nesta quinta-feira, 2, as primeiras atividades desde o mal súbito sofrido em 12 de junho deste ano, durante a disputa da Eurocopa. Exatos 173 dias depois de sofrer uma parada cardíaca e precisar ser ressuscitado dentro de campo, logo na estreia da competição, o jogador retomou os trabalhos acompanhando de um profissional particular nos campos do Odense Boldklub, equipe da primeira divisão da Dinamarca.

Black Friday Abril: Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

Jogador da Inter de Milão, Eriksen utilizou as dependências do clube onde atuou ainda nas categorias de base uma vez que tem futuro indefinido para a sequência da carreira.

Atualmente, a federação italiana proíbe que atletas que tenham um cardioversor desfibrilador implantável (CDI), um tipo de marca-passo, atuem em suas ligas.

A regra que impossibilita a continuidade de Eriksen na Itália é uma medida rígida implementada no país após a morte do zagueiro Davide Astori, da Fiorentina, em 2018, em um caso que chocou o país.

Continua após a publicidade

O Odense é um dos possíveis destinos, assim como um retorno ao Ajax, clube onde iniciou a atuar profissionalmente. As ligas holandesa e dinamarquesa não impões as mesmas restrições para jogadores profissionais.

Eriksen sofreu uma parada cardíaca e precisou ser ressuscitado -
Eriksen sofreu uma parada cardíaca e precisou ser ressuscitado – Lars Ronbog/Focus Features

Eriksen recebe 7,5 milhões de euros (50 milhões de reais) anuais, de modo que sua saída aliviaria a folha da Inter, atual campeão italiana. Pelo clube nerazzuro, ele fez 60 jogos com apenas oito gols e três assistências. Pela Dinamarca, o jogador tem 109 partidas, 36 gols e 25 assistências e é a referência da equipe desde que passou a atuar pela seleção.

Sem atuar desde o episódio, o meia ainda recebe cuidados do departamento médico da Inter, que recebe uma compensação financeira da Fifa por um seguro sobre jogadores que sofreram com problemas de saúde. Ele diz que ainda não pensa em desistir da carreira como atleta profissional.

No último mês, um caso semelhante ocorreu na Espanha: o atacante Sergio Aguero, do Barcelona, acusou uma arritmia cardíaca. Em bateria de exames, o problema foi detectado e o argentino ficará três meses afastado dos gramados.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade

Publicidade