ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Argentina x Peru: tensão na Bombonera por vaga na Copa

Vencedor da partida em Buenos Aires dependerá apenas de si para disputar o Mundial da Rússia. Perdedor ficará em situação complicada

Por Da redação Atualizado em 20 out 2021, 19h35 - Publicado em 5 out 2017, 09h17

A Argentina, que não fica fora de uma Copa do Mundo desde 1970, e o Peru, que tenta voltar ao torneio após 36 anos, farão nesta quinta-feira, às 20h30 (horário de Brasília), no estádio de La Bombonera, pela penúltima rodada das Eliminatórias sul-americanas, um confronto direto por uma vaga para o torneio da Rússia no ano que vem.

A seleção peruana é a quarta colocada, com 24 pontos, e fecha a zona de classificação direta. Os argentinos, também com 24, levam a pior no número de gols marcados e ocupam a quinta posição, que a levaria à repescagem contra a Nova Zelândia, representante da Oceania.

O jogo é tratado como uma decisão para as duas equipes e o fato de Argentina ter optado por trocar o estádio Monumental de Núñez – maior, porém, menos “quente” – pela temida Bombonera aumentou ainda mais a tensão. A federação peruana protestou, dizendo que o estádio do Boca Juniors não oferece segurança. Jornais do país ainda apontaram um “complô” a favor da Argentina, citando o fato de o presidente da Fifa, Gianni Infantino, estar em Buenos Aires.

Uma derrota em Buenos Aires não seria o fim da linha, mas pode complicar as pretensões dos times. Se houver um vencedor, este dependerá apenas das próprias forças na última rodada, na próxima terça-feira, para se classificar. A Argentina visitará o Equador e o Peru receberá a Colômbia.

O técnico Jorge Sampaoli, que apontou o jogo como o mais importante de sua vida, testou pelo menos quatro formações diferentes para a equipe titular da Argentina. Apenas o goleiro Sergio Romero, o lateral Gabriel Mercado, o zagueiro Nicolás Otamendi e o atacante Lionel Messi estiveram em todas elas.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

A surpresa entre os 11 que começarão jogando deve ser o atacante Darío Benedetto, do Boca Juniors, o dono do estádio. Ele deve ganhar a vaga de Mauro Icardi, criticado por seu desempenho no empate com a Venezuela em 1 a 1 no Monumental de Nuñez, no mês passado. Sergio Agüero, que sofreu um acidente de táxi em Amesterdã, teve lesões na costela e está fora do jogo.

Nos visitantes, a principal novidade é a entrada de Sergio Peña na formação inicial no lugar de Christian Cueva, do São Paulo, que está suspenso. O zagueiro Christian Ramos, os meias André Carrillo e Paolo Hurtado, titulares habituais, também estão suspensos, sendo desfalques para o técnico Ricardo Gareca. A principal esperança do time segue sendo Paolo Guerrero, do Flamengo.

Ambas as equipes estão atrás do Brasil, já classificado, com 37 pontos, do Uruguai, com 27, e da Colômbia, com 26. Chile, sexto colocado, com 23, Paraguai, sétimo, com 22, e Equador, oitavo, com 20, também ainda têm chances de ir ao Mundial.

A última partida dos argentinos na Bombonera, pelas Eliminatórias, foi em 16 de novembro de 1997, um empate em 1 a 1 com a Colômbia. Diante da situação difícil, argentinos vem realizando campanhas de apoio à seleção, usando a hashtag #YoAmoAMiSeleccion. 

(com EFE)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade