ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Cruzeiro não paga dívida por Arrascaeta e sofre nova punição da Fifa

Clube mineiro está impedido de contratar jogadores até quitar os quase R$ 7 milhões que deve ao Defensor Sporting pela contratação do meia uruguaio, em 2015

Por Klaus Richmond Atualizado em 23 set 2021, 19h03 - Publicado em 30 jun 2021, 16h07

O Cruzeiro recebeu nova punição da Fifa pelo não pagamento de uma dívida de 1,1 milhão de euros (6,5 milhões de reais, pela cotação atual) ao Defensor Sporting pela compra do meio-campista uruguaio Arrascaeta, em 2015. O clube havia sido condenado pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) e tinha até segunda-feira, 28, para acertar o valor, além de 20.000 francos suíços (107.000 reais) por custas processuais.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

O não pagamento resultou aos mineiros um novo transfer ban – punição imposta pela Fifa que impede o registro de novos jogadores –, além de outras possíveis sanções. No último ano, a equipe começou a Série B com menos seis pontos por uma dívida envolvendo o empréstimo do volante Denílson, do Al Wahda.

“Trata-se uma ação que tramita há vários anos, iniciada em 2015, na qual o Cruzeiro fez vários recursos eminentemente protelatórios. No final de maio, foi reafirmada a decisão que dava ao Cruzeiro 30 dias para pagar uma quantia próxima a 7 milhões de reais, sob pena de ser proibido de contratar novos jogadores. Como não houve o pagamento, na terça pedimos a aplicação da punição e no dia de hoje a Fifa proibiu que o Cruzeiro contrate novos jogadores até que pague a dívida”, disse a PLACAR o advogado Eduardo Carlezzo, que representa o clube uruguaio.

“Existem conversas em curso [para um acordo do pagamento], porém não temos muita expectativa devido a situação financeira do clube”, completou Carlezzo.

O clube já sofreu com a mesma punição em setembro por dívida com o Zorya, da Ucrânia, em negociação pelo atacante Willian, atualmente no Palmeiras, em 2014. O impedimento foi desfeito em outubro, após quitar o débito com o jogador, além de dívidas relacionadas ao atacante Ramón Ábila e integrantes da comissão técnica de Paulo Bento.

Arrascaeta defendeu o Cruzeiro entre 2015 e janeiro de 2019, quando deixou o clube para atuar no Flamengo. Na ocasião, os cariocas desembolsaram 18 milhões de euros (79 milhões de reais à época) por 75% dos direitos econômicos do jogador.

A crise em Belo Horizonte pode aumentar com novas ordens de cobranças referente a contratação de Riascos, em 2015, do Mazatlán, além da última parcela envolvendo o volante Denílson.

Neste ano, em balanço financeiro divulgado no último dia 23 de abril, o clube informou que a sua dívida global chegou a 897 milhões de reais. Até setembro do último ano, o montante era de mais 1 bilhão de reais em dívidas, com uma dívida a curto prazo de 36,5% dos 897 milhões.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade