CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Copa América: Só Messi escapou das vaias

Presente na Arena Fonte Nova em maior número, torcida colombiana provocou os argentinos durante todo o jogo, mas poupou o camisa 10

Por Alexandre Senechal Atualizado em 28 set 2021, 11h40 - Publicado em 15 jun 2019, 21h22

SALVADOR – O cenário foi o mesmo durante quase toda a partida. A Argentina pegava na bola e a Arena Fonte Nova produzia uma vaia ensurdecedora. Os colombianos, em maior número no estádio, urravam em todas as ações de ataque do adversário e atrapalhavam os ataques argentinos. Mas com Lionel Messi foi diferente. O camisa 10 foi o mais celebrado antes da partida pelas duas torcidas, inclusive pelos baianos, e foi o único poupado pela ira das arquibancadas. Só não conseguiu evitar a derrota por 2 a 0, em Salvador.

Tabela completa da Copa América 2019

O carinho com o atacante começou ainda antes da bola rolar. No entorno do estádio, os torcedores argentinos e muitos brasileiros cantavam músicas de celebração para Messi. Um grande grupo esperou a chegada da delegação da Argentina antes de entrar na Fonte Nova. Quando o ônibus apareceu, a massa gritou o nome do craque por mais de um minuto sem parar. Messi respondeu com alguns acenos.

Dentro de campo, quando ele pegou na bola, houve uma mistura de aplausos com um sentimento de preocupação. Os argentinos gritaram para o seu camisa 10 e elogiaram até mesmo as bolas perdidas. Os torcedores rivais esperaram a definição da jogada para poder se manifestar. Messi lutou bastante e jogou pouco. Tentou dar suas típicas arrancadas, principalmente no segundo tempo, mas não obteve sucesso.

Logo em sua primeira jogada, um passe errado foi correspondido com uma ovação do lado azul das arquibancadas. No minuto seguinte, o camisa 10 driblou dois colombianos na linha lateral e a Fonte Nova veio abaixo. Nem o primeiro tempo apagado do capitão argentino mudou o comportamento da torcida.

Messi foi o responsável pelo único momento de silêncio da Arena Fonte Nova. Aos 20 minutos do segundo tempo, quando o placar ainda estava 0 a 0, perdeu um gol dentro da pequena área. Os argentinos presentes nas arquibancadas ficaram incrédulos com a chance clara desperdiçada, enquanto aos colombianos restou respirar fundo por ver a maior estrela da Copa América perder um gol que não costuma perder.

A ajuda externa era o que a Colômbia precisava para superar o adversário. E deu certo. Com gols de Roger Martínez e Duván Zapata, os colombianos venceram por 2 a 0 pela primeira rodada do grupo B da Copa América. O triunfo encerrou um jejum de 12 anos contra o rival – não venciam os argentinos há oito jogos.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 14,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês