Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Contratação de Paulinho levanta suspeitas e Barcelona protesta

Publicações espanholas noticiaram suposta ligação entre empresa do presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, com clube chinês onde Paulinho atuava

Por Da redação Atualizado em 20 out 2021, 21h05 - Publicado em 16 ago 2017, 14h46

A contratação do volante brasileiro Paulinho pelo Barcelona vem sendo contestada na Catalunha não apenas por questões técnicas, mas também por razões éticas: nas redes sociais e em algumas publicações espanholas, espalhou-se a versão de que o negócio tenha atendido a interesses da empresa Adelte Group, cujo dono é o presidente do Barcelona Josep Maria Bartomeu e que tem sede em Guangzhou, cidade chinesa onde Paulinho vivia – desde 2015, ele atuava pelo Guangzhou Evergrande. 

Diante do mau momento do clube, que perdeu Neymar para o PSG e foi derrotado pelo rival Real Madrid no último domingo em pleno Camp Nou, o presidente Josep Maria Bartomeu e sua família chegaram a receber ameaças. Nesta quarta-feira, horas antes do jogo de volta da decisão da Supercopa da Espanha, o clube catalão divulgou um comunicado para defender Bartomeu das acusações envolvendo a transferência de Paulinho.

O clube prometeu processar as publicações que se negarem a se retratar da notícia envolvendo uma possível ligação entre Paulinho e a empresa de Bartomeu. “O Barcelona não tolerará que se difundam informações falsas que possam prejudicar o clube ou as pessoas que fazem parte dele”, diz um dos trechos.

Josep Vives, porta-voz do clube, concedeu entrevista à TV do Barcelona e denunciou uma campanha de difamação contra o presidente proveniente das redes sociais. “A campanha contra Bartomeu exige uma reflexão coletiva. Segundo o que averiguamos, trata-se de um movimento artificial e manipulado, visto que a maioria das menções não vêm da Catalunha, da Espanha ou da Europa. Além de não ocorrerem no continente europeu, não ocorrem de acordo com o horário local, são feitas de madrugada”, argumentou. Sobre as ameaças que o presidente e sua família têm recebido, Vives disse que elas têm o afetado de forma pessoal e direta.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade