ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Conmebol define datas e campo neutro para final entre Boca e River

Ainda não foi definido qual país vai sediar a final da Libertadores

Por Redação Atualizado em 28 set 2021, 16h03 - Publicado em 27 nov 2018, 13h49

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, decidiu nesta terça-feira, 27, que o segundo jogo da final da Copa Libertadores será disputado no dia 8 ou 9 de dezembro. Em reunião no Paraguai com Rodolfo D’Onofrio e Daniel Angelici, presidentes de River Plate e Boca Juniors, respectivamente, Domínguez definiu que a partida será realizada em outro país, ainda sem sede definida. A final foi suspensa após um ataque de torcedores do River ao ônibus que levava os jogadores do clube rival.

“Os atos de violência ocorridos em Buenos Aires no último sábado, 24, que puseram em risco a segurança dos jogadores, guardas e torcedores, tornam prudente que a partida final seja jogada em outro país. A final será disputada no dia 8 ou 9 de dezembro, em um horário e sede definidos pela Conmebol com a maior brevidade possível”, disse Domínguez, em carta divulgada nas redes sociais.

O presidente da Conmebol também explicou o pedido ‘humano’ que fez aos mandatários das duas equipes e disse que a realização da partida está sujeita à decisão da Comissão Disciplinar, que irá decidir qual será a punição ao River Plate pelo incidente. “Meu pedido humano para ambos é que, quando se comuniquem com seus torcedores, mandem a mensagem correta: o futebol não é violência”, revelou.

O presidente Angelici deve recorrer da decisão, exigindo que a Conmebol declare o Boca campeão. Ele já havia garantido, momentos antes do início da reunião, que não aceitaria colocar a equipe em campo. “Venho aqui para escutar. Nós já apresentamos nossos argumentos para não jogar. Não vamos entrar em acordo com nada além disso”, garantiu, em entrevista coletiva.

A confusão tem um antecedente histórico que pesou nos argumentos utilizados pelo Boca para não jogar: em 2015, em clássico válido pelas oitavas de final, um torcedor do Boca lançou gás de pimenta no túnel por onde os jogadores do River tinham acesso ao gramado da Bombonera. O jogo foi cancelado e a Conmebol optou por eliminar o clube da casa. Neste ano, o Boca pede punições disciplinares ao River.

Na última segunda, a imprensa internacional divulgou rumores de que a Conmebol estava decidindo entre Catar, Assunção e Miami como possíveis sedes. A cidade italiana de Gênova e até o Mineirão se ofereceram para sediar a final da Libertadores.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade