CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Classificação histórica do Ceará tem novo ato racista na Argentina

Videos nas redes sociais mostram torcedores do Independiente imitando macacos; caso aumenta número de registros semelhantes em competições da Conmebol

Por Da redação Atualizado em 26 Maio 2022, 10h58 - Publicado em 26 Maio 2022, 10h45

O Ceará conquistou na última quarta-feira, 25, uma histórica classificação às oitavas de final da Sul-Americana ao vencer por 2 a 0 o Independiente, em Avellaneda, coroando 100% de aproveitamento em seis jogos na fase de grupos. Marcou a partida, porém, um novo episódio de racismo envolvendo torcedores do clube argentino que imitaram macacos em direção aos do Vozão. Vídeos que circulam nas redes sociais registraram os ocorridos, em um deles é possível ver um cadeirante ofendendo aos brasileiros.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

O Ceará repercutiu a vitória pelas redes sociais, mas ainda não se manifestou pelas ofensas. O caso aumenta a série de problemas com insultos raciais que atingem brasileiros em confrontos pela Sula e pela Libertadores, torneios organizados pela Conmebol.

Além deste episódio, Corinthians, por duas vezes, e o rival Fortaleza sofreram com problemas semelhantes por parte de torcedores do Boca Juniors e do River Plate, respectivamente. Mesma situação vivida pelo Palmeiras diante do Emelec, no Equador, do Red Bull Bragantino contra o Estudiantes, na Argentina, e do Flamengo contra a Universidad Católica, no Chile.

Continua após a publicidade

A Conmebol anunciou na segunda, 23, a primeira punição já com o novo código disciplinar divulgado pela entidade. Pelos gestos racistas feitos por um torcedor do Boca na derrota por 2 a 0 para o Corinthians, em confronto válido pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores, na Neo Química Arena, em São Paulo, o clube pagou multa de 30 mil de dólares (cerca de 143 mil reais).

Torcedor do Boca detido por racismo na Neo Química Arena
Na Neo Química, torcedor argentino foi preso por injúrias raciais – Fernando Bizerra/EFE

Os argentinos foram enquadrados aos artigos 9 e 17 do novo Código Disciplinar da entidade. O 9 prevê “responsabilidade objetiva”, explicando que os clubes são responsáveis pelo comportamento de seus torcedores, enquanto o 17 fala sobre “discriminação” alegando em um de seus parágrafos que “qualquer associação, membro ou clube cujos torcedores incorram em comportamentos descritos no parágrafo anterior será sancionado com uma multa de, pelo menos, QUINZE MIL DÓLARES AMERICANOS (USD 15.000)”.

Curiosamente, torcedores do Boca repetiram as atitudes racistas no empate por 1 a 1, em La Bombonera, em Buenos Aires. O registro foi feito por pessoas que estavam no estádio e circulou nas redes sociais. Os brasileiros afirmaram ter feito uma reclamação formal à Conmebol pelo novo caso, ainda sem julgamento.

O resultado colocou o Ceará com 18 pontos no grupo G e assegurou à equipe de Dorival Júnior a melhor campanha entre todas as 32 que compõem a fase de grupos, além do melhor ataque e da melhor defesa. O Independiente terminou na segunda colocação, com 12.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês