CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Alvo de críticas, Maracanã terá gramado híbrido em 2022

Reforma custará aproximadamente de 4 milhões de reais e deve demorar 80 dias para ser concluída; previsão de retorno é para as finais do estadual de 2022

Por Da Redação Atualizado em 6 dez 2021, 11h59 - Publicado em 6 dez 2021, 11h55

A empresa responsável pela gestão do Maracanã informou nesta segunda-feira, 6, que o estádio ficará fechado por cerca de 80 dias a partir de sexta, 10, um dia depois do jogo entre Fluminense e Chapecoense, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O motivo é a reforma do campo de jogo que passará a adotar, a partir de 2022, gramado híbrido – combinação de grama natural com fibras sintéticas.

Black Friday Abril: Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

O investimento será custeado pelos próprios gestores do estádio e tem valor estimado de quatro milhões de reais. A projeção é para que o gramado tenha condições de receber as decisões do Campeonato Carioca de 2022.

“É uma intervenção necessária, que teve como fatores principais o volume de jogos disputados no estádio e também as interferências climáticas. Serão aproximadamente três meses de trabalho para que o gramado esteja pronto o quanto antes, sem comprometer o calendário de 2022”, disse Severiano Braga, executivo do Maracanã.

Continua após a publicidade

A reforma visa por fim a uma série de críticas as condições do campo de jogo durante a temporada. Em outubro, durante a entrevista coletiva logo após convocar a seleção brasileira, Tite não poupou as condições atuais do estádio. O Brasil perdeu a decisão da Copa América para a Argentina no palco.

“Gente, não dá para ter o Maracanã com o campo que tem, é contra o futebol, é contra a qualidade, é contra o espetáculo e tudo que buscamos enquanto futebol, ter campo bons para cobrar técnico, atleta, desempenho, passe qualificado, raciocínio, execução… fiz um desabafo aqui porque isso é incompreensível”, disse na ocasião.

“Os campos que fomos jogar estavam impecáveis (arenas em Amazonas e Pernambuco. Essa condição de campo é muito importante”, completou.

A grama híbrida é utilizada em vários estádios da Europa. Em 2016, o Barcelona passou a adotar no Camp Nou a mesma tecnologia, assim como outras tantas equipes do velho continente

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade

Publicidade