CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

‘A torcida está com a razão’, diz Renato Augusto sobre vaias após empate

Corinthians escalou reservas e perdeu a chance de terminar na liderança de seu grupo da Libertadores ao empatar em 1 a 1 com o Always Ready, em casa

Por Da redação Atualizado em 27 Maio 2022, 10h19 - Publicado em 27 Maio 2022, 10h16

O que tinha cara de goleada terminou em vaias. O Corinthians desperdiçou a chance de obter a liderança de seu grupo da Libertadores ao apenas empatar em 1 a 1 com o Always Ready, da Bolívia, na noite desta quinta-feira, 26, na Neo Química Arena. Com isso, o Timão terminou na segunda colocação do grupo E e terá vida complicada no sorteio desta sexta-feira, 27. A torcida apoiou durante os 90 minutos, mas vaiou e cobrou atitude após o apito final. O meia Renato Augusto e o auxiliar técnico Filipe Almeida concordaram com as críticas.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

“O torcedor está com a razão., A gente queria a vitória, assim como o torcedor, brigamos até o final, criamos, já no segundo tempo tentamos furar de todas as maneiras, bolas na trave, defesas do goleiro deles. Saímos tristes pelo resultado, mas não dá tempo de lamentar muito, já temos jogo pelo Brasileiro, onde temos que defender a liderança. É lamentar hoje e depois pensar no próximo jogo”, afirmou Renato Augusto, que entrou no segundo tempo, em entrevista à ESPN.

“Temos que compreender [as vaias]. Não era o resultado que queríamos. Nossa torcida também queria ganhar. Compreendemos a insatisfação e essa é a cultura que queremos, de ganhar todos os jogos. Eles apoiaram durante os 90 minutos e depois ficaram frustrados, assim como nós. Nossa resposta foi dar o máximo. No domingo, vamos tentar deixar eles satisfeitos e lutar pelos três pontos”, completou o auxiliar Filipe Almeira, que dirigiu o time em razão da suspensão de Vitor Pereira, expulso na Bombonera.

Continua após a publicidade

O gol do time brasileiro foi marcado por Adson, após belo passe de Giuliano. Porém, aos 43 do primeiro tempo, os bolivianos empataram após falha de Robson Bambu que o atacante Borja não perdoou. O Corinthians, que já havia perdido para o Always Ready na estreia, na altitude boliviana, optou por começar com um time reserva, uma estratégia contestada pela torcida.

“Não estamos satisfeitos, não há o que esconder. Nosso objetivo era terminar em primeiro. Tivemos atitude, mas não conseguimos. O plano de jogo era também poupar alguns jogadores, já que temos jogo no domingo. Podíamos ter feito o segundo gol. Não estamos satisfeitos, mas a equipe tentou de tudo para ganhar”, disse o auxiliar português.

Com o tropeço, o Corinthians terminou em segundo no grupo E, atrás do Boca Juniors, que bateu o Deportivo Cali por 1 a 0 na Bombonera, e agora enfrentará um primeiro colocado na próxima fase. Este foi o pior desempenho do Corinthians desde 1991. De lá para cá, o time sempre havia passado em primeiro na fase de grupos. A pontuação mínima havia sido os 10 pontos de 2018 (um a mais do que a deste ano).

Desde o seu único título em 2012, o Corinthians nunca mais passou das oitavas de final. Filipe Almeida, no entanto, vê o time forte para o mata-mata.

“A equipe tem mostrado consistência. Estamos preparando a equipe para esses momentos de mata-mata. Acredito que estamos no caminho certo para esse momento onde os adversários são mais fortes. Nosso objetivo era passar dessa fase. O Vítor disse, inicialmente, que era um grupo equilibrado. Não conseguimos o objetivo principal de passar em primeiro, mas passamos. Vamos lutar em cada eliminatória para ir, passo a passo, ganhando os jogos”, completou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês