CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

UFC: Dana White já promove ‘trilogia’ Cigano x Velasquez

Chefão da franquia confirma o reencontro entre brasileiro e americano, cogita levar a luta para o México e avisa que o duelo acontecerá antes do fim do ano

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 11h48 - Publicado em 26 Maio 2013, 03h36

“Eu mal posso esperar para ver a terceira luta. Eles são os dois melhores pesos pesados do mundo”, resumiu o presidente do UFC

Sempre de olho numa boa oportunidade de negócio, o presidente do UFC, Dana White, não quis esperar muito tempo para começar a promover uma luta que tem tudo para quebrar recordes de vendas de ingressos e pacotes pay per view. Depois da vitória convincente de Júnior Cigano sobre Mark Hunt e do nocaute-relâmpago de Cain Velasquez contra Antônio Pezão, na noite deste sábado, no UFC 160, em Las Vegas, o chefão da franquia confirmou que o brasileiro e o americano vão se reencontrar ainda neste ano. Em 2011, Cigano nocauteou Velasquez logo no primeiro assalto. No ano passado, o americano deu o troco ganhando por decisão unânime dos juízes. A nova trilogia do UFC – que já tem tradição em promover desempates entre grandes rivais depois da conquista de uma vitória para cada lado – deverá acontecer no segundo semestre (e, segundo Dana White, não no evento próximo ao Réveillon, como em 2012, mas sim antes disso). O chefão do UFC ainda surpreendeu ao cogitar levar o combate para o México. Velasquez tem origem mexicana e já disse que sonha com um combate no país de seus antepassados. Dana White contou que pensa em fazer um evento numa arena mexicana desde que entrou para o UFC.

Leia também:

UFC 160: Velasquez volta a arrasar Pezão. Na fila, Cigano

Cigano consegue grande nocaute e já mira reconquista do título

Glover finaliza, mostra sua força e comemora com Tyson

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Seja onde for, a luta está mais do que confirmada. “Não há nem o que pensar”, disse o dirigente ao ser questionado, logo no início da entrevista coletiva pós-luta, sobre o tira-teima entre Cigano e Velasquez. “Eu mal posso esperar para ver a terceira luta. Eles são os dois melhores pesos pesados do mundo”, resumiu o presidente do UFC, que ainda elogiou Cigano por sua “força e velocidade incríveis”. O ex-campeão se disse confiante na possibilidade de recuperar o cinturão e comemorou o bom desempenho contra Hunt depois de decepcionar no duelo anterior contra Velasquez. “Acredito 100% nas minhas habilidades para nocautear qualquer outro lutador”, disse o catarinense de 29 anos. Sobre o golpe com o qual derrotou o neozelandês, Cigano admitiu que ninguém esperava que ele resolvesse uma luta com um chute rodado. “Eu treino chutes toda hora, mas nunca tinha me sentido muito confortável para usá-los numa luta, já que minhas mãos costumam resolver os combates”, disse, sorridente. Dana White revelou ainda que outro brasileiro pode estar perto de uma disputa de título. Glover Teixeira voltou a impressionar com sua performance. “Ele não está longe de ganhar uma chance. Mas ele acabou de entrar no UFC. Vamos aguardar as próximas lutas da categoria dele. Mas vamos levá-lo até uma decisão de título.”

Leia também:

Belfort fala a VEJA sobre nocaute: ‘Foi um momento épico’

Anderson terá empresa para cuidar da imagem no exterior

UFC aprova Jaraguá e mantém aposta ambiciosa no Brasi

l

Glover, que recebeu o prêmio de melhor finalização da noite, com bônus no valor de 50.000 dólares, estava contente com a vitória, mas mostrava empolgação ainda maior quando comentava a entrada de Mike Tyson no octógono para cumprimentá-lo depois de sua vitória. Ele disse ter realizado um sonho ao ter esse tipo de contato com a lenda do boxe. “Antes de minhas lutas, sempre assisto a um vídeo de melhores momentos do Tyson. Receber os parabéns dele foi algo que não tem preço”, contou o atleta mineiro. Cigano também foi cumprimentar Tyson depois de vencer – chegou a pular a grade do octógono para apertar a mão do ex-lutador. Mas foi por culpa de Tyson que ele perdeu a chance de levar mais 50.000 dólares para casa. Já premiado com o bônus de melhor luta da noite, o brasileiro receberia também a recompensa pelo melhor nocaute. Conforme revelou Dana White, porém, Tyson sugeriu que o bônus ficasse com TJ Grant, que derrotou Gray Maynard logo no primeiro assalto. Grant ganhou também a confirmação de que será o próximo desafiante de Benson Henderson pelo título dos leves. No início da entrevista coletiva, Dana White anunciou a aposentadoria de Forrest Griffin, que venceu a primeira edição do reality show The Ultimate Fighter e lutou contra atletas como Anderson Silva, Tito Ortiz, Maurício Shogun, Rampage Jackson e Rich Franklin. Com problemas físicos, o veterano deverá passar a trabalhar para o UFC.

  • Dana White, o chefão do UFC
  • As ring girls no UFC São Paulo
  • UFC: a ring girl Arianny Celeste na praia, no Rio
  • UFC SP: o que você não viu na TV
  • UFC: Anderson Silva em fotos exclusivas para VEJA
  • UFC Rio 3: o que você não viu na TV
  • UFC Rio 3: por dentro do evento
  • Ronda Rousey, a nova musa do UFC
  • UFC: Anderson Silva x Chael Sonnen
  • No octógono com Júnior Cigano, campeão do UFC
Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

MELHOR
OFERTA

Digital no App