Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Torcida do Palmeiras quebrou 877 cadeiras do Itaquerão

Se todas as cadeiras fossem totalmente destruídas prejuízo seria de R$ 438 mil

Por Da Redação Atualizado em 29 set 2021, 21h03 - Publicado em 20 abr 2015, 16h49

O Corinthians divulgou nesta segunda-feira que 877 cadeiras de seu estádio foram destruídas parcial ou totalmente pelos palmeirenses, que ocuparam o setor Sul, na partida deste domingo. É a maior quebra de assentos registrada numa partida desde que o estádio foi inaugurado, segundo o gerente de operações do local, Lúcio Blanco. Ele ainda revelou que um representante do Palmeiras esteve no Itaquerão na manhã desta segunda-feira para averiguar os estragos.

Paulista: árbitro relata vandalismo de torcidas no Itaquerão

Palmeiras bate Corinthians nos pênaltis

Santos elimina São Paulo e encara Palmeiras na final

Existe um acordo entre as diretorias de Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos para que seus respectivos presidentes arquem com as despesas na casa do adversário quando sua torcida provocar quebra-quebra. Portanto, as despesas com as cadeiras danificadas serão pagas pelo Palmeiras, assim como na fase classificatória no Paulistão, quando o Corinthians bancou o prejuízo na arena do Palmeiras. Cada assento novo tem preço estimado em 500 reais, mas nem todas as cadeiras quebradas serão descartadas – há possibilidade de reparos, caso contrário o prejuízo total seria de 438.500 reais.

Blanco disse que o quebra-quebra no setor onde estavam os 1.800 torcedores do Palmeiras não começou depois das cobranças de pênaltis. “As imagens registradas pelas câmeras direcionadas para o setor mostram que eles não arrancaram as cadeiras somente depois dos pênaltis. Começou antes, durante a partida. Uma longarina onde 26 cadeiras são presas foram arrancadas ao longo do jogo.”

A diretoria do Corinthians estuda tirar os assentos destinados aos torcedores visitantes em dias de clássicos e deixar apenas as lajes de cimento. A ideia é defendida por Andrés Sanchez, superintendente de futebol do Corinthians.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade