Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Tigre abandona jogo e São Paulo vence a Sul-Americana

Depois de briga no final do primeiro tempo, equipe argentina do Tigre se recusou a voltar ao gramado para a segunda etapa, quando perdia por 2 a 0

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 23h40 - Publicado em 12 dez 2012, 23h06

O São Paulo derrotou a equipe argentina do Tigre por 2 a 0 na noite desta quarta-feira e conquistou o título da Copa Sul-Americana, em uma partida marcada pela desistência do time rival, que se recusou a voltar para a segunda etapa e forçou o encerramento da decisão ainda no intervalo.

Galeria de imagens: Confusão e despedida de Lucas marcam a final no Morumbi

O título coroou a despedida do meia Lucas que, negociado com o PSG da França, realizou seu último jogo com a camisa do São Paulo e presenteou a torcida com uma atuação decisiva. Muito festejado pelos 67.000 torcedores presentes no Morumbi, o camisa 7 foi o grande destaque da final enquanto a bola rolou. Aos 22 minutos, abriu o placar chutando no canto do goleiro Albil e, cinco minutos depois, deu o passe para Osvaldo finalizar por cobertura e decretar os 2 a 0.

Troca de acusações – A confusão que provocou o fim prematuro do jogo começou ainda no gramado, após o final da primeira etapa. Atletas dos dois times trocaram empurrões e precisaram ser contidos pelos policiais militares. Na briga, foram expulsos os jogadores Paulo Miranda, do São Paulo, e Diáz, do Tigre. Depois do intervalo, a surpresa: os argentinos alegaram que os seguranças do São Paulo e os policiais militares foram truculentos no túnel que leva ao vestiário e não voltaram a campo.

Jogadores e integrantes da comissão técnica do Tigre afirmaram terem sido agredidos e ameaçados por um revólver, mas a PM negou a presença de armas de fogo no vestiário. “Nós fomos chamados para separar uma briga generalizada entre comissão técnica e jogadores do Tigre e seguranças do São Paulo”, relatou o Major Gonzaga, chefe do policiamento, à rede Fox Sports. “Não houve constatação de ninguém armado de ambas as partes. Se tivesse sido constatado, com certeza esse jogador seria preso.” Todos os envolvidos na confusão foram conduzidos a um distrito policial próximo.

Leia mais: Na despedida, Lucas exalta o São Paulo: ‘Amo esse clube’

Festa – O árbitro chileno Enrique Osses aguardou por trinta minutos o retorno do Tigre. Depois, foi até o vestiário avisar que daria apenas mais cinco minutos para a volta dos argentinos. Prazo descumprido, Osses encerrou a partida. Nicolas Leoz, presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), estava no estádio foi o responsável por tomar a decisão final e oficializar o fim de jogo, declarando o Sâo Paulo campeão.

A confusão não diminuiu a festa dos jogadores do São Paulo, que comemoram bastante o fim de um curto jejum de quatro anos sem títulos, desde o Brasileirão de 2008. “Foi a primeira vez que um time argentino pipocou”, ironizou o treinador Ney Franco durante a comemoração. Na hora da entrega da taça, o capitão Rogério Ceni convidou um emocionado Lucas para erguer o troféu ao lado dele e encerrar com brilho o “até logo” do meia são-paulino.

(Com agências Gazeta-Press, Estadão Conteúdo e EFE)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade