Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

São Paulo joga a toalha e dá como certo título do Cruzeiro

Equipe soube da vitória dos mineiros após o pouso de seu avião em Guarulhos

Por Da Redação Atualizado em 6 out 2021, 10h46 - Publicado em 21 nov 2014, 08h23

Na noite de quinta-feira, a equipe do São Paulo embarcou num voo na Colômbia com uma ponta de esperança de conquistar o título do Brasileirão 2014. Poucos segundos depois de pousar no Aeroporto Internacional de Guarulhos, já na madrugada desta sexta, a delegação descobriu que o campeonato estava praticamente resolvido, e que restava ao time apenas confirmar o vice. “Alguém olhou no celular, ainda no avião, e falou que o Cruzeiro tinha vencido. Aí, a gente começa a fazer as contas, e você tem que ser realista. O campeonato se torna bastante difícil”, contou o goleiro Rogério Ceni no desembarque, ocorrido poucas horas depois da vitória do time mineiro sobre o Grêmio, de virada, em Porto Alegre. Com sete pontos de vantagem, o Cruzeiro agora precisa de apenas uma vitória para confirmar matematicamente o título. “Com dois jogos em casa, a chance deles é de quase 100% mesmo”, avaliou o são-paulino, que prega que o time se concentre totalmente na Copa Sul-Americana, em que é semifinalista.

Leia também:

Cruzeiro vira sobre o Grêmio e prepara festa para domingo

Irritado com gafe, Rogério Ceni dispara contra patrocinador

Reta final: Corinthians sobe, Atlético voa, Botafogo afunda

Apesar de jogar a toalha em relação ao Campeonato Brasileiro, Ceni se disse disposto a viajar a Cuiabá para enfrentar o Santos, no domingo, numa partida em que o técnico Muricy Ramalho deverá poupar seus principais jogadores – muitos nem deverão sair de São Paulo. “Eu estou me sentindo bem, gostaria de jogar. Mas é uma decisão que, logicamente, passa pelo crivo da comissão técnica.” Para o capitão do São Paulo, a maratona de jogos tornou improvável uma virada sobre o Cruzeiro, que abriu vantagem confortável de pontos já no primeiro turno. “O time chegou ao limite do que pode dar. Só tenho elogios aos jogadores. Atuamos até três vezes por semana. Uma hora, a equipe tende a cair um pouquinho. Chegou a uma encruzilhada. Tem que definir para que lado ir”, afirmou, reforçando o pedido para que se escolha um objetivo para a reta final de temporada. Perto do fim da carreira – mas sem ainda confirmar a aposentadoria -, Ceni deixa claro que gostaria de ver o time jogando todas as suas fichas na conquista da Sul-Americana, que seria seu último título.

(Com agência Gazeta Press e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade