CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Rodada tem tropeços de Flamengo, Atlético-MG e Botafogo

Nenhuma das três equipes brasileiras que entraram em campo pela Copa Libertadores na noite desta quarta-feira conseguiu sair com a vitória

Por Da Redação Atualizado em 6 out 2021, 21h43 - Publicado em 13 mar 2014, 00h50

Três times brasileiros entraram em campo pela Libertadores na noite desta quarta-feira – e, apesar de enfrentarem adversários fracos, nenhum deles conseguiu a vitória. Jogando no Maracanã, o Flamengo não passou de um empate em 2 a 2 com o Bolívar e desperdiçou a chance de se tornar líder do Grupo 7. Botafogo e Atlético-MG atuaram fora de casa e não tiveram melhor sorte. Com duas expulsões, a equipe carioca não segurou o empate contra o Independiente del Valle, no Equador, e levou um gol nos acréscimos na derrota por 2 a 1. Quem também viu o adversário marcar nos últimos minutos foi o atual campeão Atlético-MG. A equipe alvinegra conseguia uma boa vitória contra o Nacional do Paraguai até os 41 do segundo tempo, quando cedeu o empate em 2 a 2. Menos mal que o time mineiro segue em situação tranquila na tabela, liderando o Grupo 4.

Leia também:

Rio decreta feriado em dias de jogos da Copa na cidade

Sem marcar pela 1ª vez em estreia, Pato pede paciência

Flamengo – Depois de um primeiro tempo truncado no Maracanã, o jogo entre Flamengo e Bolívar voltou mais aberto na etapa final. E quem surpreendeu primeiro foi a equipe boliviana, que abriu o placar aos 7, em bela trama pela esquerda que terminou com o gol de Capdevila. A reação rubro-negra não demorou: dois minutos mais tarde, Everton empatou em chute da entrada da área. A pressão flameguista continuou e a virada, novamente em gol de Everton, deu a impressão de que o time venceria sem maiores sobressaltos. Mas Pedriel, em seu primeiro lance, empatou aos 27. Faltando pouco para o fim, o Bolívar se trancou na defesa e o Flamengo não teve competência para furar o bloqueio, para a decepção dos mais de 40 mil torcedores no Maracanã.

Atlético-MG – Em jogo disputado no estádio 3 de Febrero, em Ciudad del Este, escolhido pelo Nacional por causa da proximidade com o Brasil para atrair mais torcedores, o Atlético teve um início ruim e saiu atrás do placar. Após jogada pelo meio, Marcos Melgarejo recebeu na área e chutou rasteiro por baixo das pernas de Victor. Em desvantagem, a equipe mineira mostrou tranquilidade e virou ainda no primeito tempo. Primeiro, Ronaldinho carregou a bola pelo meio e tocou para Josué finalizar dentro da área. Depois, o argentino Dátolo cruzou para Jô, em posição de impedimento, tocar para o gol. No segundo tempo, o Atlético preferiu administrar o resultado e pouco criou. A defesa também não sofria grandes sustos até que, aos 40 minutos, após cruzamento na área, o zagueiro Otamendi colocou a mão na bola. Na cobrança do pênalti, Sílvio Torales bateu forte no meio do gol e sacramentou o empate.

Botafogo – Na altitude de 2.800 metros de Quito, o Botafogo enfrentou uma dura batalha contra o Independiente del Valle. Castigado pela forte chuva, o gramado ruim do pequeno estádio Rumiñahui virou um lamaçal, dificultando trocas de passe e arrancadas. Em dia pouco inspirado, a defesa do time carioca deu muito espaço para o adversário, e a equipe da casa fez 1 a 0 no primeiro tempo com Nuñez, que chutou sem marcação. Sem sucesso nas tentativas de contra-ataque, o Botafogo empatou na volta do intervalo em jogada de escanteio que terminou com a conclusão de Bolívar. A partir do meio do segundo tempo, no entanto, a partida desandou para os cariocas. Bolívar, que já tinha cartão amarelo, fez outra falta forte e foi expulso. Em seguida, houve um tumulto dentro de campo e o lateral Edilson recebeu vermelho por reclamação. Com dois a menos, o Botafogo ficou encurralado e, nos acréscimos, Sornoza acertou um chutaço no ângulo e virou o jogo para o Independiente del Valle.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade