CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Reunião pode definir saída de Gilson Kleina do Palmeiras

Clube sofreu goleada histórica para o Mirassol na quarta-feira

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 16h15 - Publicado em 28 mar 2013, 09h54

Uma reunião na tarde desta quinta-feira entre o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, o diretor-executivo José Carlos Brunoro e o gerente de futebol Omar Feitosa pode definir a saída do técnico Gilson Kleina do comando do clube, horas após o time ser goleado pelo Mirassol por 6 a 2, em partida válida pelo Campeonato Paulista.

Feitosa foi o único dirigente da equipe presente à partida em Mirassol – Brunoro estava em São Paulo participando de seminários sobre o futuro do futebol brasileiro, e Nobre comandou a delegação da seleção brasileira durante os dois últimos amistosos do time na Europa.

Ao ser questionado sobre o futuro do treinador, Feitosa limitou-se a dizer que não era hora de tomar decisões, mas garantiu que Kleina não pediu demissão nos vestiários. “Não desisto. Trabalho com muito mais afinco, vergonha na cara e sentindo tudo isso”, afirmou Kleina. “Conversei com o Omar na maior tranquilidade para fazermos uma avaliação e levantarmos a cabeça. Temos que reagir.”

Para dispensá-lo do comando do time, a diretoria teria que lidar com problemas financeiros, um dos maiores obstáculos da atual gestão. Gilson Kleina tem multa rescisória em seu contrato, válida até dezembro, e ainda não recebeu parte dos salários relativos aos meses em que trabalhou no ano passado. Tudo terá de ser negociado para que ele deixe o Palmeiras.

O fraco desempenho dos jogadores na derrota desta quarta-feira não será tão decisivo caso os dirigentes optem pela demissão de Kleina. O técnico nunca esteve entre os favoritos de Nobre e Brunoro. Ambos assumiram o clube no início do Campeonato Paulista e prometeram só avaliá-lo quando preenchessem o elenco do clube.

Dez reforços chegaram e, apesar de quatro deles não terem condições de disputar a Copa Libertadores da América, a análise da diretoria é de que o treinador já poderia ter encontrado um time ideal. Os resultados, por ora, não agradam aos torcedores. O Palmeiras não venceu nenhum dos três clássicos paulistas disputados – empates com Corinthians, São Paulo e Santos.

(Com Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês