CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Protocolar, Espanha bate Nigéria no Castelão e pega Itália

Sem o brilho costumeiro, a Fúria faz 3 a 0 nos africanos e volta ao Castelão na quinta, contra a Azzurra – mas a torcida já está de olho em final com o Brasil…

Por Celso de Campos Jr., com fotos de Ivan Pacheco, de Fortaleza Atualizado em 7 out 2021, 10h02 - Publicado em 23 jun 2013, 18h13

O golaço de Jordi Alba, que enfileirou toda a zaga nigeriana e tirou com categoria de Eneyama para abrir o placar logo aos três minutos de jogo, anunciava um massacre que acabou não acontecendo

Não foi aquele passeio que muitos esperavam, mas a Espanha protocolou sua passagem para as semifinais como líder do Grupo B ao vencer a Nigéria por 3 a 0, neste domingo, em Fortaleza, com dois gols de Jordi Alba e outro de Fernando Torres. Agora, a Fúria volta ao Castelão na quinta-feira para enfrentar a Itália, na semifinal da Copa das Confederações, já conhecendo o primeiro classificado para a final – que sairá no dia anterior do duelo entre Brasil e Uruguai. E Xavi, Iniesta e companhia limitada já sentiram o clima de hostilidade que os espera nas semifinais por aqui. Nos minutos derradeiros do jogo, a torcida cearense, que vaiou a Fúria do início ao fim, mandou um ensurdecedor recado aos campeões mundiais – dando de barato a vitória contra a Azzurra e prevendo a tão esperada final com a seleção brasileira: “Espanha, pode esperar, a sua hora vai chegar”.

Leia também:

Leia também: Com reservas, Uruguai destroça o Taiti. Na quarta-feira, o Brasil

Confira todos os números e principais lances da partida entre Espanha e Nigéria

O panorama se manteve inalterado na volta do intervalo – e só mudou aos 15 do segundo tempo, quando o técnico Vicente Del Bosque trocou o pé-torto Soldado por Fernando Torres, artilheiro da Copa das Confederações. Dois minutos depois, o camisa 9 deixou novamente sua marca, cumprimentando de cabeça o cruzamento preciso de Pedro. Foi seu quinto gol no torneio. Na metade do segundo tempo, o sol que pintava o Castelão de amarelo foi embora; com a temperatura mais amena, a Espanha passou a cadenciar o jogo, diminuindo o ímpeto da Nigéria. Ainda assim, as Super Águias tiveram algumas chances de marcar – mas esbarraram na afobação de seus atletas, a quem ainda falta, nitidamente, a frieza para enfrentar os grandes desafios. Aos 43 do segundo tempo, Jordi Alba recebeu lançamento longo de David Villa, e, sozinho, driblou Eneyama para marcar e decretar números finais à partida. A hora está chegando.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês