Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Presidente do Palmeiras some de evento. O tema: gestão

Com time em crise, Tirone não apareceu para palestra sobre futuro dos clubes

Por Da Redação Atualizado em 8 out 2021, 10h35 - Publicado em 17 set 2012, 12h19

“Ninguém está se escondendo. Estamos presentes, mas não sei o motivo da ausência do Tirone, ele não falou nada para mim”, disse o vice Edvaldo Frasson

O torcedor do Palmeiras tem motivos de sobra para criticar o presidente do clube, Arnaldo Tirone – mas, justiça seja feita, pelo menos o cartola parece ter algum senso de ridículo. Na manhã desta segunda-feira, a agenda do dirigente previa um compromisso inusitado para o atual momento do Palmeiras: ele faria a palestra inaugural de um seminário sobre o futuro dos clubes brasileiros, num dos prédios da nova arena do clube, em São Paulo. Tirone falaria sobre a importância de uma boa gestão para o sucesso de uma equipe profissional. Alvo da fúria da torcida depois da derrota para o Corinthians, no domingo, Tirone resolveu nem aparecer no evento, sem dar explicações.

O Palmeiras foi representado por dois dos vice-presidentes de Tirone: Edvaldo Frasson e Walter Munhoz. “Ninguém está se escondendo. Estamos presentes, mas não sei o motivo da ausência do Tirone, ele não falou nada para mim”, avisou Frasson, que deixou rapidamente o local das palestras. O clima no Palmeiras está mais tenso a cada dia que passa, já que o clube segue perdendo e enfrenta o risco cada vez mais real de uma nova queda para a Série B do Campeonato Brasileiro. A derrota para o Corinthians despertou um sentimento de revolta em alguns torcedores. No momento, o clube é o penúltimo colocado da classificação, oito pontos atrás do Flamengo, primeiro clube fora da zona da degola.

Torcedores mais exaltados já haviam protestado no Pacaembu, local da partida, avisando que o time deveria se preparar “para apanhar” se cair para a Série B. No início da noite, a fúria do torcedor resultou em atos de vandalismo: uma filial da lanchonete Frevo, na Rua Oscar Freire, que pertence ao vice-presidente de futebol do clube, Roberto Frizzo, foi depredada em um ataque realizado mais de uma hora após a partida. Pouco depois, o alvo foi a loja oficial do Palmeiras, na sede do clube. Na fachada do estabelecimento, palmeirenses picharam uma ameaça em letras enormes: “Acabou a paz, vagabundos” (na foto abaixo).

Porta da loja do Palmeiras foi pichada após derrota no clássico
Porta da loja do Palmeiras foi pichada após derrota no clássico VEJA

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade