Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Polícia identifica mais oito vândalos do Atlético-PR

Entre os torcedores reconhecidos na pancadaria estão dois dos atleticanos retirados desacordados da Arena Joinville. Só três vascaínos foram presos

Por Alexandre Aragão Atualizado em 7 out 2021, 00h32 - Publicado em 12 dez 2013, 19h06

A Polícia Civil e o Ministério Público dos estados do Paraná e de Santa Catarina identificaram mais oito torcedores envolvidos na pancadaria do último domingo, na Arena Joinville, na última partida do Campeonato Brasileiro. As identificações foram feitas a partir de informações passadas por torcedores que estavam no estádio e por redes sociais. A selvageria na partida entre Atlético- PR e Vasco da Gama deixou quatro pessoas gravemente feridas. Até o momento, há apenas três presos, todos torcedores do clube carioca.

Leia também:

STJD rejeita recurso e confirma rebaixamento do Vasco da Gama

STJD quer combater selvageria tirando pontos dos clubes Brasil já tem antídotos contra os vândalos. Só falta usá-los

Um dos identificados nas imagens cometendo agressões é William Batista da Silva, de 19 anos, que foi agredido e ainda está internado. Nas imagens examinadas pelos investigadores, ele aparece brigando com torcedores rivais. O reconhecimento foi possível a partir de uma pulseira e de uma tornozeleira usada por William. De boné, bermuda e camisa do Atlético-PR, ele foi fotografado dando um chute no vascaíno Bruno Pereira Ribeiro (Bruno Fet), presidente da torcida Força Jovem do Vasco. Momentos depois, ele foi filmado sendo retirado das arquibancadas, desacordado. Internado desde domingo, o jovem apresenta quadro estável, fora de perigo, mas sem previsão de alta. William sofreu traumatismo craniano com fratura, sem afundamento significativo de crânio.

Uma tatuagem no lado esquerdo do peito levou a polícia até o torcedor Gabriel Ziemer. A imagem em que foi identificado é a mesma em que William duela com um vascaíno.

Também foi identificado Carlos Rodrigo – o atleticano que foi espancado desacordado, no chão, e atingido com uma barra de ferro. De acordo com torcedores que estavam no estádio Carlos é dirigente da torcida Os Fanáticos, banida dos estádios após a pancadaria em Joinville.

Outro integrante da Os Fanáticos apontado como agressor é Fábio Marques, conhecido entre companheiros de estádio como “Barba Ruiva”. Marques é um brigão reincidente: em outubro, ele havia sido detido quando dois grupos rivais da torcida do Atlético-PR entraram em conflito. Também pertence a Os Fanáticos Thiago Pato, apontado como líder da torcida na região do bairro curitibano Fazenda Rio Grande.

Os nomes reunidos pela polícia e pelos promotores de Justiça confirmam as suspeitas de que, em alguns momentos, as torcidas organizadas se tornam algo próximo de quadrilhas de criminosos. O torcedor reconhecido como Alex Missau, apelidado “Mini Bob”, estava na pancadaria com os vascaínos. Ele tem passagem por tráfico de drogas. Na ocasião, segundo apurou o site de VEJA, Missau alegou ser apenas usuário. Ele chegou a ser detido e, ao sair da prisão, morou um período em Belo Horizonte. Recentemente, ele havia voltado para Curitiba e passou a frequentar as partidas do Atlético-PR.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Alguns dos vândalos reconhecidos têm fama também fora dos estádios. As imagens da selvageria do último domingo levaram a polícia até o rapper Neder, integrante do grupo Alvos da Lei.

Os outros identificados são Rafael Enrique, morador da cidade paranaense de Colombo, e David Rodrigues da Silva.

Investigação – O delegado regional da Polícia Civil de Santa Catarina em Joinville, Dirceu Silveira Júnior, afirmou na quarta-feira ao jornal O Estado de São Paulo que havia identificado 30 participantes da pancadaria – sem revelar os nomes. Entre eles estariam torcedores do Vasco e do Atlético-PR. “Agora estamos buscando verificar qual a participação de cada um na briga”, disse.

Segundo Silveira Júnior, nove envolvidos na briga são da Força Jovem do Vasco e foram descobertos pela polícia fluminense. “Todos serão indiciados em inquérito policial e responderão de acordo com o grau de participação na briga e a violência empreendida”, afirmou.

Leia também:

Torcida do Atlético-PR vai se afastar de estádios por 6 meses

Vândalos presos em estádio serão indiciados por 3 crimes​

Chefes da Força Jovem do Vasco comandaram a pancadaria

Policiais civis e promotores de Justiça do Rio de Janeiro chegaram a 12 vascaínos envolvidos na pancadaria. Estão presos até agora Leones Mendes da Silva, 23 anos, Arthur Barcelos de Lima Ferreira, 26 anos, e Jonathan Fernandes dos Santos, 29 anos. Os três foram transferidos do Presídio Regional para a Penitenciária Industrial de Joinville na quarta-feira pela manhã.

Além deles, estão identificados entre os vascaínos envolvidos na briga: Bruno Pereira Ribeiro, o Bruno Fet, 31 anos, presidente da Força Jovem do Vasco; o lutador Naíba, diretor da Força Jovem Vasco; Bruno de Oliveira, 24 anos; Marcelo Souza, integrante da bateria da Força Jovem do Vasco; Phillipe Martelletti Sampaio, 24 anos, também da Força Jovem; Felipe Rocha Barbosa, 30 anos, chefe da Torcida Rasta Vasco; Sadraque Gomes Eduardo, 22 anos, integrante da Torcida Pequenos Vascaínos; Carlos Vitor Vital Nunes, 25 anos, também da Pequenos Vascaínos; e o torcedor conhecido como Pierre, que seria presidente da Ira Jovem.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade