ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Pelé: o Rei comemora mais um golaço

Na terça 14, ele saiu da unidade de terapia intensiva do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, após cirurgia para retirada de um tumor no cólon direito

Por Alessandro Giannini Atualizado em 23 set 2021, 18h09 - Publicado em 18 set 2021, 08h00

PELÉ -
PELÉ – @pele/Facebook

O soco no ar era uma das marcas registradas de Pelé, o ponto final da comemoração que sempre começava com um gol e invariavelmente seguia com um salto no vazio. Sempre foi assim na seleção brasileira, no Santos ou, mais tarde, no Cosmos, de Nova York. O sorriso largo que acompanhava as celebrações era um bônus de quem, mesmo consagrado como o Rei do futebol, jamais perdeu o entusiasmo nas disputas. Aos 80 anos, quase 81, que serão completados em 23 de outubro, Edson Arantes do Nascimento venceu mais uma partida. Na terça-feira 14, ele saiu da unidade de terapia intensiva do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, após cirurgia para retirada de um tumor no cólon direito, que é parte do sistema digestivo (até quarta-feira 15, os resultados da biópsia não tinham sido anunciados). Pelé ficou dez dias em observação, uma eternidade para quem acompanha a extraordinária jornada de uma das personalidades mais relevantes da história do esporte. Transferido para o quarto, ele encontrou forças para fazer uma foto em que mimetiza um pouco de sua inesquecível comemoração. E postou uma mensagem nas redes sociais para agradecer, em português e inglês, aos milhões de fãs. “Meus amigos, esse é um recado para cada um de vocês. Não pensem, por um minuto sequer, que eu não li os milhares de mensagens de carinho que recebi. Muito obrigado”, escreveu. “Continuo cada dia mais alegre, com muita disposição para jogar noventa minutos, mais a prorrogação. Estaremos juntos em breve!” Longa vida ao Rei.

Publicado em VEJA de 22 de setembro de 2021, edição nº 2756

Publicidade