Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Para Valcke, da Fifa, caso Del Nero é ‘um problema interno’

Secretário-geral da Fifa fica no Brasil até o fim da semana, para sorteio em SP

Por Da Redação Atualizado em 8 out 2021, 00h54 - Publicado em 26 nov 2012, 15h03

“O Comitê de Ética da Fifa tem plena liberdade para investigar o Del Nero ou qualquer outro membro da Fifa, mas todos somos inocentes até que se prove o contrário”

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, iniciou nesta segunda-feira mais uma visita ao Brasil. Além de vistoriar mais três sedes da Copa do Mundo de 2014 – Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo -, ele vai participar do sorteio dos grupos da Copa das Confederações de 2013, no sábado. Logo no primeiro compromisso de sua agenda, no Rio de Janeiro, teve de comentar o fato de Marco Polo Del Nero, membro do Comitê Executivo da Fifa, ter prestado depoimento à Polícia Federal dentro de uma operação que investiga venda de informações sigilosas e crimes contra o sistema financeiro. Del Nero teve documentos e equipamentos apreendidos em sua casa, em São Paulo. O dirigente paulista, que também é presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) e vice-presidente da CBF, foi liberado após falar à PF e se disse “absolutamente tranquilo”.

“A informação que eu tive é que a Polícia Federal foi até a casa dele e levou objetos e colheu depoimentos. É um problema interno, não vejo como poderia comentar”, disse Valcke depois de participar da cerimônia de abertura da Soccerex, feira de negócios do futebol que acontece no Forte de Copacabana, no Rio. O francês também comentou a hipótese de Del Nero ser investigado pela própria Fifa caso a operação da PF revele alguma suspeita em relação à sua atuação como cartola. “O que posso dizer é que o Comitê de Ética da Fifa tem plena liberdade para investigar, caso ache necessário, o Del Nero ou qualquer outro membro da Fifa, mas todos somos inocentes até que se prove o contrário”, disse o dirigente, que visitaria ainda nesta segunda-feira as obras do Maracanã. Na terça, ele viaja para Curitiba. A partir de quarta, fica em São Paulo até o sorteio, em que será o mestre de cerimônias.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade