Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

No Mineirão e na Vila Belmiro, duelos decidem os finalistas

Os visitantes Flamengo e Cruzeiro pretendem aproveitar a vantagem obtida na semana passada, mas Atlético-MG e Santos acreditam em uma virada em casa

Por Da Redação Atualizado em 6 out 2021, 11h19 - Publicado em 5 nov 2014, 09h10

Os finalistas da Copa do Brasil serão conhecidos no fim da noite desta quarta-feira. As partidas decisivas, que acontecem em Belo Horizonte e Santos, às 22 horas (de Brasília), têm cenários similares: os visitantes ganharam na ida, na semana passada, e chegam para a definição em vantagem, mas os mandantes apostam no apoio da torcida e na raça de seus jogadores na busca da virada. As duas partidas finais estão marcadas para os dias 12 e 26 deste mês, com o campeão garantindo, além da taça, uma vaga na Copa Libertadores de 2015.

Leia também:

Flamengo vence o Atlético-MG por 2 a 0 e fica em vantagem

Cruzeiro vence no Mineirão e está na frente do Santos

Derrotados, Atlético-MG e Santos ainda apostam em virada

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Brasileirão: grandes clubes brigam pelo G4 ‘no escuro’

Atlético-MG x Flamengo – O time do técnico Vanderlei Luxemburgo pensava em passar o segundo semestre lutando só para não cair no Campeonato Brasileiro. O Flamengo, no entanto, foi além, e agora está próximo de chegar pela segunda vez consecutiva à decisão da Copa do Brasil. Os cariocas podem até perder por um gol de diferença para o Atlético-MG – na ida, o atual campeão venceu por 2 a 0 no Maracanã. Mas o adversário, vale lembrar, está acostumado a reverter placares desfavoráveis. Diante do Corinthians, na fase anterior, o Atlético também perdeu a primeira partida por 2 a 0, mas venceu em casa por 4 a 1 e avançou. Luxemburgo não revelou a escalação (Léo Moura, machucado, está fora, e Everton e Gabriel, em recuperação, ainda são dúvida), mas garantiu que sua equipe está pronta para absorver a pressão dos atleticanos.

Entre os mineiros, a confiança no poder de superação do time anima o torcedor – até a terça, mais de 30.000 ingressos já tinham sido vendidos para o clássico nacional no Mineirão. O time do técnico Levir Culpi vai contar com dois reforços. O zagueiro Leonardo Silva e o volante Leandro Donizete se recuperaram de contusão e estão aptos para jogar. O Atlético promete uma postura agressiva desde o início, aproveitando a velocidade de seus atacantes. Na defesa, o clube conta com a estrela do goleiro Victor, que está confiante em uma reviravolta. “Nosso time já mostrou que tem muita força em casa, seja no Independência ou no Mineirão. Não é uma situação inédita. Não podemos deixar de pressionar, jogar em cima e induzir o adversário ao erro.”

Santos x Cruzeiro – Os santistas vão precisar melhorar muito – vêm de três derrotas e um empate nos últimos quatro jogos – para conseguir superar o forte Cruzeiro no litoral paulista. O time caiu de produção depois da perda de Geuvânio por contusão. O jogo vale a temporada do Santos, já que o time perdeu a decisão do Paulistão para o Ituano e quase não tem chances de ir à Libertadores pelo Brasileirão. Como a partida de ida das semifinais, no Mineirão, foi vencida por 1 a 0 pelos cruzeirenses, os paulistas precisam ganhar por dois ou mais gols de diferença. Se a vitória for pela contagem mínima, a decisão será nos pênaltis. Se conseguir a classificação, o Santos vai ficar a dois jogos da sua segunda conquista da Copa do Brasil em quatro anos e salvar um ano que tem sido muito ruim.

O trabalho do técnico Enderson Moreira era bom até a lesão do jovem Geuvânio. Sem sua velocidade e seus gols, a equipe passou a depender demais de Robinho, que ainda não está na melhor forma, e de Gabriel, que também não atravessa sua melhor fase. Entre os cruzeirenses, a situação é bem diferente. Líder no Brasileirão, a equipe quer seguir firme rumo aos dois títulos. Para isso, o time chegou a Santos preparado para suportar a pressão. “Será um jogo ainda mais difícil, mas estamos preparados. A responsabilidade de segurar o Santos é de toda a equipe, não só da zaga. Somos um grupo que joga junto, todo mundo se ajuda”, disse o zagueiro Dedé. O técnico Marcelo Oliveira deve mandar a campo o que tem de melhor. Ele se preveniu e fez os seus jogadores treinarem pênaltis, com ótimo aproveitamento de quase todos os titulares.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade