Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Neymar espanta a fase ruim e Santos bate o Guarani

Após mais de um mês sem gols e vitórias, craque se recupera e acaba com fama de ‘pé frio’ da namorada às vésperas de se juntar à seleção

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 16h56 - Publicado em 16 mar 2013, 18h48

O jejum de Neymar

3/2 – Santos 3 x 1 São Paulo

6/2 – Inglaterra 2 x 1 Brasil

10/2 – Santos 1 x 3 Paulista*

17/2 – Ponte Preta 3 x 1 Santos

24/2 – Santos 2 x 1 XV de Piracicaba**

3/3 – Santos 0 x 0 Corinthians

10/3 – Atlético Sorocaba 1 x 2 Santos**

16/3 – Santos 2 x 1 Guarani

*Neymar fez seu último gol

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

**Neymar não jogou

Acabou a fase ruim de Neymar. Depois de mais de um mês e quatro partidas, o atacante voltou a sair vencedor de campo e ajudou o Santos a bater o Guarani por 2 a 1, na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, em Santos. O resultado faz o time “dormir” na liderança do Campeonato Paulista, com 24 pontos, um a mais que São Paulo e Ponte Preta, que só jogam neste domingo, contra São Paulo e Atlético Sorocaba. O fim do jejum de vitórias vem em boa hora, já que no domingo o craque se apresenta à seleção brasileira para os amistosos contra a Itália, na próxima quinta-feira, e a Rússia, no dia 25. Além disso, espanta parcialmente a fama de “pé frio” da namorada de Neymar, a atriz Bruna Marquezine: embora tenha conseguido vencer, ele continua sem marcar nenhum gol depois de ter assumido o relacionamento.

Leia também:

Santos acerta patrocínio e cria saia justa para Neymar

A última vez que Neymar tinha saído vitorioso de campo havia sido no dia 3 de fevereiro, nos 3 a 1 contra o São Paulo, em que ele marcou um gol de pênalti e deu o passe para outro, de Miralles. Depois disso, entrou em campo mais quatro vezes (uma pela seleção e três pelo Santos), e, além de não vencer, só marcou um gol, na derrota por 3 a 1 para o Paulista de Jundiaí, jogo em que Bruna Marquezine ficou nos camarotes do Pacaembu, no domingo de Carnaval – um dia antes de eles assumirem o namoro, que vinha sendo comentado desde o início do ano.

Nesse período, o craque ainda acumulou suspensões, que o deixaram de fora das únicas duas vitórias do Santos: expulso contra a Ponte Preta, não enfrentou o XV de Piracicaba. Contra o Corinthians, levou um cartão amarelo por simular um pênalti e, com três cartões acumulados, ficou fora da partida contra o Atlético Sorocaba. A má fase rendeu inclusive um puxão de orelhas em público do técnico Muricy Ramalho sobre sua queda de rendimento. “Vou conversar”, prometeu o técnico.

Decisivo – Não se sabe se eles se falaram mesmo, mas o período sem jogar fez bem ao craque, que, mesmo sem marcar, foi decisivo ao criar a jogada do segundo gol santista, aos 3 minutos: ele tomou a bola de Ademir Sopa no círculo central, arrancou, se livrou de dois marcadores e cruzou para André marcar, com o gol vazio – no primeiro tempo, Montillo havia aberto o placar. O Guarani, mesmo na zona de rebaixamento, jogou com muita garra, diminuiu o placar aos 13 minutos, com gol de Tiago Pagnussat, e pressionou bastante em busca do empate, que não saiu. Neymar teve outras chances para marcar o seu gol e, mesmo sem estar no melhor de seus dias, colaborou com boas jogadas, que mantiveram a bola longe da área santista.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Neymar viaja neste domingo com os demais jogadores que atuam no país e a comissão técnica e se junta aos “europeus” da seleção na Suíça – o jogo contra a Itália será em Genebra. Sem ele, o Santos tenta a terceira vitória consecutiva no Campeonato Paulista na quinta-feira, contra o Mirassol, enquanto o Guarani busca a reabilitação contra o Paulista, em Campinas.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade