CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Na volta, Ronaldinho quer ser decisivo contra a Inglaterra

Em entrevista a jornal inglês, o jogador se diz grato pela confiança de Felipão

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 20h46 - Publicado em 5 fev 2013, 09h12

“Na minha cabeça, a única coisa que importa é que estou de volta à equipe e preciso mostrar que posso ser fundamental na próxima Copa”

Ausente nas últimas partidas da seleção brasileira, Ronaldinho Gaúcho retornou ao time sob o comando do treinador Luiz Felipe Scolari, que reassume a equipe nacional depois de triunfar na Copa do Mundo de 2002 – quando o meia-atacante, hoje no Atlético-MG, foi um dos grandes destaques da conquista. Tentando um lugar fixo no grupo de atletas lembrados por Felipão, o jogador espera ter ótimo desempenho no amistoso contra a Inglaterra, na quarta-feira, às 17h30 (horário de Brasília), no Estádio de Wembley, em Londres. A Inglaterra, aliás, foi a principal vítima de Ronaldinho na Copa de 2002: na partida das quartas de final, ele foi o melhor em campo. O atleta não esconde a alegria pela volta de Scolari. “Tenho lembranças especiais dele. Claro, nós ganhamos o Mundial de 2002 sob seu comando, e jogando um futebol bonito. Ele mostrou confiança em mim e me convocou. Scolari é muito corajoso e tem como meta ganhar a Copa de 2014”, disse Ronaldinho em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal britânico Daily Mail.

Entrevista: ‘Nunca desisti de jogar pelo Brasil’, diz goleiro Júlio César

O amistoso de quarta festeja o aniversário de 150 anos da Federação Inglesa (FA, na sigla original). Apesar de exaltar a data comemorativa, Ronaldinho pretende encarar a partida com muita seriedade e mostrar que continua sendo um jogador de alto nível. “É uma ocasião especial. Além disso, é um confronto entre duas grandes nações do futebol. Mas, na minha cabeça, a única coisa que importa é que estou de volta à equipe e preciso mostrar que posso ser fundamental na próxima Copa”, completou o meia-atacante, que ainda apontou alguns destaques da equipe adversária. “Rooney é um jogador que eu gosto, é capaz de melhorar qualquer seleção do mundo. Ashley Cole é um lateral-esquerdo fantástico.” Brasil e Inglaterra já se enfrentaram em 23 oportunidades, e a equipe pentacampeã acumula larga vantagem no retrospecto, com onze vitórias, nove empates e três derrotas diante do time europeu.

Leia também:

Leia também: Hernanes é cortado e Felipão chama Jean, do Fluminense

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade