Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Muricy se emociona em despedida do São Paulo: ‘Isso é minha vida’

Treinador apareceu de surpresa no treinamento e admitiu ter sido difícil se afastar do cargo para tratar de problemas de saúde

Por Da Redação Atualizado em 29 set 2021, 21h22 - Publicado em 7 abr 2015, 12h28

O técnico Muricy Ramalho foi ao treino do São Paulo para se despedir dos jogadores, funcionários e jornalistas, na manhã desta terça-feira, um dia depois de entrar em consenso com a diretoria e deixar o cargo devido a problemas de saúde. Com a voz embargada e com o semblante abatido, o treinador fez um pronunciamento de menos de um minuto e reconheceu ter tomado uma decisão difícil.

Leia também:

Com problemas de saúde, Muricy Ramalho deixa o São Paulo

Muricy está envergonhado por derrota do São Paulo

Muricy assume culpa por crise no São Paulo – e organizada promete protesto

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Após vitória no Paulista, Muricy expõe problemas com a diretoria

“Queria agradecer à torcida do São Palo pelo carinho. Resolvi tomar essa atitude, que é difícil, porque isso aqui é a minha vida. Mas tive que olhar com carinho para a minha saúde. Obrigado a todos”, disse Muricy ao encerrar o comunicado. Enquanto a diretoria procura um novo técnico, o interino Milton Cruz comandará o time nas próximas partidas, como nesta quarta-feira, diante da Portuguesa, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

Antes do pronunciamento, Muricy se reuniu com os jogadores para se despedir. O ex-técnico estava no cargo desde setembro de 2013 e fez 109 partidas no comando do São Paulo nesta terceira passagem. “Vim aqui para agradecer. Já agradeci aos jogadores, comissão técnica, funcionários e agora estou agradecendo a vocês, jornalistas. Se bem que vocês nunca fizeram nada por mim”, brincou Muricy.

Um dos maiores ídolos da história do clube, Muricy atuou pelo São Paulo como jogador entre 1973 e 1979 e acumulou três passagens como treinador – é o segundo com mais participações, 476, contra 532 do recordista Vicente Feola. Na segunda passagem, a mais vitoriosa delas, conquistou três títulos do Campeonato Brasileiro (2006, 2007 e 2008). O treinador teve uma crise de diverticulite, uma inflamação no intestino, em janeiro e chegou a ficar internado. Agora, se afastará do futebol para retirar uma pedra na vesícula.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade