ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Morre último remanescente da 1ª temporada de F-1

Francês Robert Manzon tinha 97 anos. Causas da morte não foram divulgadas

Por Da Redação Atualizado em 29 set 2021, 22h51 - Publicado em 19 jan 2015, 16h58

Último remanescente da primeira temporada da Fórmula 1, disputada em 1950, o ex-piloto francês Robert Manzon morreu nesta segunda-feira, aos 97 anos, em sua residência em Marselha, na França. Ele também era o piloto mais velho a já ter pontuado em um Grande Prêmio. As causas da morte não foram divulgadas.

Filho de imigrantes italianos, Manzon nasceu em Marselha, em 1917. A paixão por carros começou com a profissão de mecânico e distribuidor de peças para motores. Ele precisou esperar o fim da II Guerra Mundial para se tornar piloto profissional e estreou na Fórmula 1 pela Gordini na primeira temporada da principal categoria do automobilismo mundial.

Manzon não participou da primeira corrida, na Inglaterra. Só estreou em Mônaco, no dia 21 de maio de 1950, quando bateu no Alfa Romeo de Giuseppe Farina, o campeão daquela temporada. O francês ainda participou da etapa da França – chegou em quarto lugar e marcou três pontos – e da Itália, fechando a competição em 17º lugar.

Ao todo, entre as equipes Gordini, Rosier e Ferrari, Manzon disputou 28 GPs entre 1950 e 1956, ano de sua aposentadoria. Ele conquistou dois pódios, ambos em terceiro lugar: na Bélgica, em 1952, e na França, em 1954. Em suas duas últimas temporadas, ele fez dupla com o brasileiro naturalizado francês Hermano João da Silva Ramos, o Nano. Em 2008, Manzon fez uma participação no GP de Marselha, e aos 90 anos pilotou um carro da Gordini.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade