CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Londres enfim encerra ‘novela’ sobre seu Estádio Olímpico

O West Ham, clube tradicional da capital, poderá usar a arena a partir de 2016. Temia-se que local virasse elefante branco, manchando o legado dos Jogos

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 16h33 - Publicado em 22 mar 2013, 12h05

O Estádio Olímpico atualmente tem capacidade para 80.000 torcedores, mas será reduzido para 54.000 lugares, algo que já estava previsto desde sua concepção

A Olimpíada de Londres foi um enorme sucesso, mas um problema ofuscava o legado dos Jogos até esta sexta-feira: o destino do Estádio Olímpico, que ainda estava indefinido. Temia-se que a construção, muito elogiada por ser sustentável e dispensar luxos desnecessários, virasse um elefante branco. A novela terminou com o anúncio oficial pelas autoridades londrinas de que o estádio será a nova casa do West Ham United, clube tradicional da capital britânica, a partir de agosto de 2016. Depois de muitas negociações e reviravoltas, o prefeito Boris Johnson enfim confirmou nesta sexta-feira que o time, atualmente na primeira divisão do futebol inglês, será o responsável pelo estádio, localizado na região leste da cidade, a mesma em que a equipe joga atualmente, no estádio Boleyn Ground, também conhecido como Upton Park.

Leia também:

A beleza interior do Estádio Olímpico de 1,5 bilhão de reais

Londres inicia adeus ao velho modelo de estádio olímpico

Londres dá início à transformação de seu Parque Olímpico

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Londres-2012 economiza um Maracanã mais um Beira-Rio

Londres, estrondoso sucesso, se despede, ‘feliz e gloriosa’

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga Veja Esporte no Twitter

O clube joga no histórico Upton Park, com capacidade para 35.000 pessoas, desde 1904. O Estádio Olímpico atualmente tem capacidade para 80.000 torcedores, mas será reduzido para 54.000 lugares, algo que já estava previsto desde sua concepção. A obra de redução da capacidade e outras adaptações, como a reforma na cobertura e a colocação de assentos retráteis, vinham sendo os principais obstáculos para que o West Ham chegasse a um acordo. O clube londrino pedia maior ajuda financeira do governo de Londres para custear essas obras, o que quase fez com que as negociações fossem encerradas. O anúncio, aliás, só teria sido possível porque a prefeitura aceitou ceder mais 25 milhões de libras para as reformas, chegando a um total de cerca de 60 milhões. O West Ham gastará algo entre 150 e 190 milhões de libras no total.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês