CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Laudo diz que AVC matou lutador; caso vai ser investigado

Suspeita é de que perda de peso para luta vitimou Leandro Feijão, do Shooto

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 03h05 - Publicado em 27 set 2013, 16h49

Alguns lutadores passam horas enfurnados sob altíssimas temperaturas. E além da sauna, alguns encaram longas sessões na banheira com água quente e álcool

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro confirmou nesta sexta-feira que o atleta de MMA Leandro Feijão morreu em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Na quinta-feira, Feijão estava no fim do processo de perda de peso para lutar no Shooto 43, no Rio, mas nem sequer chegou a participar da pesagem, pois desmaiou e foi levado a um hospital em Botafogo. Ele não resistiu e morreu algumas horas depois. Apesar de o laudo confirmar o AVC, ainda haverá uma investigação para saber se a morte está ligada ao esforço físico do atleta para a pesagem. Já fragilizado por causa da necessidade de perder muitos quilos num curto intervalo de tempo, ele pode ter exagerado na tentativa de “secar” ainda mais e atingir o limite da sua categoria. Como a ocorrência de AVC não é comum entre jovens – Feijão tinha apenas 26 anos -, a suspeita de que os procedimentos agressivos adotados pelos lutadores para cortar peso rapidamente aumentou.

Leia também:

Atletas do UFC perdem até 16 kg para ‘enganar’ a balança

Lutador brasileiro de MMA morre antes de pesagem no Rio

A ideia de um atleta ter de perder três, quatro ou até cinco quilos em apenas 24 horas para conseguir lutar pode parecer absurda, mas a prática é normal em alguns esportes de contato. No wrestling e no boxe, por exemplo, alguns lutadores já precisaram de ajuda médica para conseguir subir na balança no dia da pesagem. Entre os recursos usados para conseguir o “milagre” de perder peso rapidamente está a sauna – Feijão passou mal pouco depois de passar por uma. Além de deixar de ingerir água e alimentos com sódio, alguns lutadores passam horas enfurnados sob altíssimas temperaturas. E além da sauna, alguns encaram longas sessões na banheira com água quente e álcool (para abrir os poros e aumentar a perda de líquido). Para agravar um pouco mais o sofrimento dos atletas, nada de secar o corpo com toalha, já que o tecido devolve um pouco do líquido para o corpo. Alguns usam sacos plásticos e até cartões de crédito. Ainda que se comprove que Leandro Feijão morreu por causa da agressividade dessas técnicas sobre o organismo, ninguém acredita que os atletas de MMA deixarão de enfrentar esse duríssimo regime de redução de peso antes de encarar a balança na véspera de suas lutas.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

MELHOR
OFERTA

Digital no App