CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Jogos de Tóquio: atleta de Uganda é dado como desaparecido no Japão

Julius Ssekitoleko, do levantamento de peso, não compareceu à realização de exame obrigatória de Covid-19 e não foi visto em seu hotel, em Osaka

Por Da Redação Atualizado em 23 set 2021, 18h47 - Publicado em 16 jul 2021, 09h58

A uma semana do início dos Jogos de Tóquio, um imprevisto preocupa a organização do evento: Julius Ssekitoleko, um levantador de peso de Uganda, foi dado como desaparecido do campo de treinamento olímpico do país, em Izumisano, na província japonesa de Osaka, informaram autoridades locais na sexta-feira, 16.

O atleta de 20 anos não compareceu para realizar um teste obrigatório de coronavírus e não estava em seu quarto de hotel. “Um membro da delegação de Uganda desapareceu e não pode ser contatado. A cidade está fazendo todos os esforços para procurar o indivíduo. Já relatamos o caso à polícia”, informou a cidade de Izumisano em comunicado, segundo a agência AFP.

Ssekitoleko foi visto pela última vez pouco depois da meia-noite do horário local, dentro do hotel, por um companheiro de equipe. Sua ausência levanta novos questionamentos em relação ao protocolo dos Jogos, que proíbe expressamente que membros das delegações e jornalistas deixem as áreas designadas previamente. Passeios turísticos, fora dos centro de treinamentos e ginásios, são vetados, sob risco de exclusão do evento.

A delegação de Uganda chegou ao Japão ainda no mês passado para se aclimatar ao local e realizar a quarentena necessária. Um treinador da equipe testou positivo na chegada, e outros membros da delegação foram posteriormente solicitados a se isolarem, com um segundo membro depois testando positivo.

Conforme mostrou reportagem de capa de VEJA desta semana, a pandemia do novo coronavírus impõe desafios sem precedentes ao Comitê Olímpico Internacional, ao Comitê Organizador e ao governo japonês. O país soma 825 000 casos do novo coronavírus, com 15 000 mortes. Há três semanas a média móvel diária cresce, tendo chegado a 586 casos. No Japão, apenas 30% da população já recebeu a primeira dose de alguma vacina (no Brasil, 40%).

Totalmente protegidos, com duas doses, são 18% (no Brasil, 15%).O evento será aberto dia 23, no Estádio Nacional de Tóquio, e todos os eventos na capital japonesa serão realizados sem a presença de torcedores. 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

MELHOR
OFERTA

Digital no App