ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Furacão tenta minimizar vaias e pensa na reabilitação nesta Série B

A crise volta a rondar a Baixada após a derrota do Atlético Paranaense para o São Caetano, por 1 a 0, em Paranaguá, complicando a ascensão da equipe na Série B do Campeonato Brasileiro. O goleiro Weverton minimizou as vaias e os gritos de vergonha da torcida após o apito final e garantiu que a […]

Por Da Redação Atualizado em 8 out 2021, 18h06 - Publicado em 4 ago 2012, 19h18

A crise volta a rondar a Baixada após a derrota do Atlético Paranaense para o São Caetano, por 1 a 0, em Paranaguá, complicando a ascensão da equipe na Série B do Campeonato Brasileiro. O goleiro Weverton minimizou as vaias e os gritos de vergonha da torcida após o apito final e garantiu que a única solução para os problemas é trabalhar forte em busca de reabilitação.

‘É normal o torcedor cobrar. Agora é trabalhar, ir para Natal e vencer o América-RN. Vamos continuar’, ponderou o camisa 1 rubro-negro, que ainda mostra confiança em uma recuperação dentro da competição, ainda que a meta de somar pelo menos 30 pontos no primeiro turno tenha ficado mais difícil. ‘Tem bastante campeonato ainda. É descansar, levantar a cabeça e pensar na próxima partida’, acrescentou.

Um dos estreantes da tarde, o meia Elias admitiu que entrou na partida sem estar com 100% de condições para jogar, mas acredita que o momento exige algo mais do grupo. ‘Claro que a gente quer estrear vencendo. Mas tem que ter tranquilidade, tem que ter personalidade, jogamos em um clube grande. Todo mundo tem que assumir sua responsabilidade. Fui para o sacrifício, mas me senti bem nos 25 minutos que entrei’, afirmou.

Já o zagueiro Manoel destaca as falhas na finalização, além do cochilo no gol adversário, como principais problemas do Furacão. ‘É delicado falar. Fora de casa jogamos do mesmo jeito e o resultado veio. Jogamos bem, mas não fomos felizes para colocar a bola para dentro do gol. Na Série B é jogo de 1 a 0, 2 a 1. Tem que fazer o gol e se fechar. Não fizemos e tomamos um gol no ponto em que somos fortes, que é a bola parada’, concluiu.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade