CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Felipão comanda primeiro coletivo, e Lucas ganha chance

Novidade para amistoso contra a Inglaterra deverá ser a presença do atleta do PSG entre os titulares. Entre os volantes, Paulinho está na frente de Hernanes

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 11h25 - Publicado em 31 Maio 2013, 17h36

O técnico Luiz Felipe Scolari comandou, na tarde desta sexta-feira, o primeiro coletivo da seleção brasileira antes do amistoso contra a Inglaterra, no domingo, na fase preparatória para a Copa das Confederações. Em um time com três atacantes, a novidade foi a presença de Lucas entre os titulares, escalado no ataque. A provável equipe é: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernando, Paulinho e Oscar; Lucas, Neymar e Fred. Brasil e Inglaterra entram em campo no domingo, no Estádio do Maracanã. O jogo está marcado para as 16 horas (de Brasília).

Leia também:

Seleção treina com Nike para torneio que usa bola Adidas

Lucas, sobre a seleção: ‘Estamos abaixo dos nossos rivais’

Seleção enfim recebe os convocados de Bayern e Atlético

Justiça revoga liminar e garante o Brasil x Inglaterra no Rio

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Confusão em torno do amistoso deixa britânicos perplexos

Caxirola vetada: ministro enterra sonho bilionário de Brown

Sem o zagueiro Réver e o atacante Bernard, que jogaram na quinta pelo Atlético-MG, na segunda partida das quartas de final da Copa Libertadores, dois atletas do Flamengo, Frauches e Tomás, foram chamados para completar o time dos reservas, formado por: Jéfferson, Jean, Dante, Filipe Luís, Luiz Gustavo, Hernanes, Jadson, Hulk, e Leandro Damião. Usado na lateral direita, Jean falou sobre a improvisação do técnico Luiz Felipe Scolari. “Servir a seleção brasileira é sempre um prazer, não importa a posição”, garantiu.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

O volante Hernanes tem opinião contrária e admitiu que prefere jogar como segundo volante, apesar de desempenhar outros papeis. “Foi bom ter a fama de ser polivalente, mas hoje estou definido como segundo volante. É a posição em que comecei a jogar e a função à qual quero me dedicar.” Três atletas foram obrigados a deixar a concentração pela manhã. Hernanes, que perdeu um dente, teve de ir ao dentista. Daniel Alves e Fernando, com acúmulo de cera no ouvido, tiveram que consultar um otorrinolaringologista.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês