ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Fabiana Murer explica eliminação pela ‘inconstância’ de seus saltos

A atleta brasileira Fabiana Murer, que não conseguiu se classificar para a final do salto com vara dos Jogos Olímpicos de Londres, quando era uma das principais favoritas da prova, se queixou do vento forte e da “inconstância” dos seus saltos. “Eu vinha treinando bem, mas meus saltos não eram tão constantes. Eu tenho condições […]

Por Da Redação Atualizado em 8 out 2021, 20h31 - Publicado em 4 ago 2012, 12h01

A atleta brasileira Fabiana Murer, que não conseguiu se classificar para a final do salto com vara dos Jogos Olímpicos de Londres, quando era uma das principais favoritas da prova, se queixou do vento forte e da “inconstância” dos seus saltos.

“Eu vinha treinando bem, mas meus saltos não eram tão constantes. Eu tenho condições de fazer um salto bastante alto, mas ele hoje não saiu. Se eu tivesse conseguido fazer sempre o mesmo salto, teria passado todas as alturas sem problemas, mas desta vez foi esta inconstância que me prejudicou”, revelou Fabiana.

A atleta de 31 anos, campeã mundial em Daegu em agosto do ano passado, era uma das maiores chances de medalhas do Brasil no atletismo.

Na eliminatória deste sábado, Fabiana saltou apenas 4,50 m na sua segunda tentativa, e não conseguiu superar os 4,55 m, sendo que o limite para se classificar era 4,60 m.

Depois de errar duas vezes o salto de 4,55m, tentou realizá-lo pela terceira vez, mas parou no meio do caminho, sendo advertida com a bandeira amarela.

Devido ao vento forte, precisou esperar para realizar a próxima tentativa e, depois de iniciar a corrida, parou mais uma vez, recebendo a bandeira vermelha da desclassificação.

“Mudei alguns detalhes no meu salto para conseguir passar alturas mais importantes, como 4,95 m ou 5 m, mas primeiro tenho que me adaptar para passar as alturas mais baixas”, explicou Fabiana, que pouco competiu este ano por ter tomado a decisão de não disputar a temporada indoor para passar mais tempo apenas treinando.

“Tentei mudar mais detalhes do que se eu tivesse feito a temporada indoor e foram essas pequenas mudanças que deixaram meu salto mais inconstante. Mesmo assim, não me arrependo da minha escolha. Sempre treinei pensando no futuro, nunca quis ficar parada”, completou.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade