Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Ex-jogador de futebol americano é condenado a prisão perpétua por assassinato

Aaron Hernández, de 26 anos, matou três pessoas a tiros – dois deles, imigrantes

Por Da Redação Atualizado em 29 set 2021, 21h11 - Publicado em 15 abr 2015, 17h50

O ex-jogador de futebol americano Aaron Hernández, de 26 anos, foi condenado nesta quarta-feira, por uma corte de Massachusetts (EUA), à prisão perpétua por três assassinatos e duas tentativas de homicídio entre os anos de 2012 e 2013. Atacante do New England Patriots de 2010 a 2012, Hernández, considerado um dos melhores na posição, não terá direito a liberdade condicional.

Leia também:

Justiça nega recurso e Pistorius pode pegar 25 anos de cadeia

Oscar Pistorius é condenado a cinco anos de prisão

Preso, ex-goleiro Bruno receberá R$ 600 mil do Flamengo

Hernández matou os imigrantes Daniel de Abreu, 29 anos, e Samiro Furtado, de 28, e o americano Odin Lloyd, de 27, jogador amador de futebol americano. Segundo os procuradores, Hernández parou o seu carro ao lado do das vítimas, durante a madrugada de 16 de julho de 2012, e atirou três vezes, matando Abreu e Furtado e ferindo outra pessoa não identificada. No dia 17 de junho de 2013, Hernández levou Lloyd, namorado da sua cunhada na época, a uma área industrial de Boston e atirou seis vezes nele.

Em 2011, Hernández foi escolhido para participar do jogo das estrelas da liga e foi um dos responsáveis por levar o New England Patriots ao Super Bowl – final do futebol americano. No ano seguinte, assinou o maior contrato da história para sua posição, de 40 milhões de dólares (122 milhões de reais) com o Patriots, mais 12 milhões de dólares como bônus.

Hernández (com a camisa 81) foi considerado um dos melhores jogadores da posição “Tight End”, na Liga Nacional de Futebol do EUA, entre 2010 e 2012 VEJA

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade