CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Em alta, Ronaldo ganha fôlego na briga pela Bola de Ouro

Novo prazo de entrega dos votos beneficia português, que foi decisivo contra Suécia. E sua vitória pode criar uma saia-justa: ele não quer ir à festa da Fifa

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 01h24 - Publicado em 20 nov 2013, 15h31

O português ficou irritado com uma crítica do presidente da Fifa, Joseph Blatter, e se disse decidido a não comparecer à festa de gala do início do ano

A Fifa anunciou nesta quarta-feira a extensão do prazo de votação para o prêmio Bola de Ouro de 2013, que elege o melhor jogador do mundo neste ano. De acordo com a entidade, houve “um baixo número de respostas” no prazo original, que terminou na última sexta-feira. Agora, os votos podem ser entregues até o dia 29. A medida pode desencadear uma reviravolta no prêmio anual da Fifa. Quando a lista dos 23 indicados foi anunciada, Lionel Messi, vencedor das últimas quatro edições do troféu, e Franck Ribéry, que ganhou títulos importantes pelo Bayern de Munique, eram vistos como favoritos. Mas Cristiano Ronaldo, em alta nas últimas semanas, com muitos gols decisivos pelo Real Madrid e pela seleção portuguesa, agora surge como candidato muito forte. A ampliação do prazo é altamente benéfica ao português, que marcou nada menos que quatro gols no playoff que deu à sua seleção uma vaga na Copa do Mundo de 2014.

Leia também:

Ibra, sem modéstia, acha que Copa não tem graça sem ele

Cristiano Ronaldo faz três em Estocolmo e elimina a Suécia

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Ronaldo: ‘Adoraria Messi ou Cristiano Ronaldo na seleção’

Na partida decisiva de terça, em Estocolmo, Cristiano marcou três vezes e foi notícia no mundo todo. Além de ter ampliado o prazo para que os votos sejam entregues, a Fifa decidiu autorizar possíveis mudanças nos votos já enviados, o que aumentaria ainda mais as chances do português, que já foi eleito o melhor do mundo em 2008. O ganhador da Bola de Ouro de 2013 será eleito pelos votos dos técnicos e dos capitães das seleções nacionais, além de um jornalista de cada um dos 209 países que integram a Fifa. Os brasileiros na disputa são Neymar e Thiago Silva. Os cinco finalistas deverão ser anunciados no dia 9 de dezembro. A cerimônia de premiação está marcada para 13 de janeiro. A festa, aliás, poderá ser marcada por uma saia-justa. Cristiano Ronaldo ficou irritado com uma crítica do presidente da Fifa, Joseph Blatter, e se disse decidido a não comparecer à festa de gala do início do ano. Na noite de terça, depois da classificação de Portugal, Blatter – que já tinha se desculpado com Cristiano -, elogiou o atleta na tentativa de consertar a situação. O português não respondeu.

Chuteira de Ouro – Machucado e fora de ação pelo resto do ano, Messi perdeu espaço na corrida por sua quinta Bola de Ouro consecutiva, mas isso não quer dizer que sua galeria de troféus parou de crescer. Na manhã desta quarta, durante cerimônia realizada em Barcelona, o argentino recebeu o prêmio Chuteira de Ouro por ter sido o maior goleador nos campeonatos nacionais da Europa na temporada passada. Se o segundo semestre do supercraque é ruim, a primeira metade do ano foi positiva. O astro do Barça se sagrou campeão espanhol na temporada 2012-2013, em que marcou 46 gols, e agora vem amargando mais um período de afastamento dos gramados por causa de mais uma lesão muscular. Um problema na perna esquerda o deixará longe dos gramados por um período total de seis a oito semanas. Com isso, ele só deverá voltar a atuar no início de janeiro.

O atacante argentino já havia recebido a Chuteira de Ouro europeia na temporada 2011-2012, quando marcou um recorde de 50 gols no Campeonato Espanhol. Antes disso, ele também já tinha sido o vencedor do prêmio na temporada 2009-2010, quando balançou as redes 34 vezes e conduziu o Barça a mais um título nacional. Atrapalhado por várias lesões, Messi fez apenas oito gols em onze jogos disputados na atual edição do Campeonato Espanhol. Ao receber a premiação nesta quarta, o jogador chamou a atenção ao usar um terno florido. Antes disso, em janeiro, ele já havia ousado ao vestir um smoking preto com bolinhas brancas e gravata borboleta durante premiação da Bola de Ouro da Fifa. “Dedico essa honraria aos meus amigos, minha família na Argentina, e aos jogadores, meus colegas. Vocês sabem que sem eles eu não conseguiria nenhum prêmio”, discursou ele.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade