ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

‘É a voz do povo’, diz Cafu sobre vaia a Dilma na abertura

No Rio, capitão do penta reconhece que a saia-justa em Brasília ‘pegou mal’

Por Giancarlo Lepiani, do Rio de Janeiro Atualizado em 7 out 2021, 10h23 - Publicado em 16 jun 2013, 12h28

“Ninguém quer ver a nossa presidente vaiada. Ela comanda o nosso país. É que tem sempre os do contra, é assim no Brasil”, disse Lucas

O técnico Luiz Felipe Scolari não quis nem sequer tocar no assunto depois da estreia do Brasil, no sábado, contra o Japão, em Brasília. Mas seu capitão na conquista do penta, em 2002, falou abertamente sobre as vaias à presidente Dilma Rousseff no Estádio Nacional Mané Garrincha, na abertura da Copa das Confederações. Hoje, o ex-lateral é integrante do Comitê Técnico da Fifa, e participa do torneio como observador. Na manhã deste domingo, na sala de imprensa do Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Cafu reconheceu a repercussão negativa do episódio mas em nenhum momento se prestou a defender a presidente. “Foi uma situação desagradável, uma situação ruim, não pegou muito bem. Mas é a voz do povo brasileiro”, afirmou o ex-atleta da seleção brasileira. “Ela é a presidente, é a autoridade máxima do nosso país, e sem dúvida alguma impõe respeito. Mas não é possível para conter a todos em meio ao povo.”

Leia também:

Neymar enfim brilha e o Brasil estreia com vitória tranquila

No pontapé inicial no DF, torcida vaia Dilma e irrita Blatter

Leia também:

Felipão: ‘Se seguir assim, Brasil pode bater qualquer time’

Protesto chega aos arredores do estádio antes da abertura

Copa das Confederações
Copa das Confederações VEJA
Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade